Críticas Filmes 

Mundo em Caos | Crítica: Tom Holland e Daisy Ridley até tentam salvar filme de ser um completo caos

Hollywood tem uma boa história com filmes que sofreram para serem lançados.. e eu diria que Mundo em Caos (Chaos Walking, 2021) é um deles. Anunciado em 2011, o longa só conseguiu estrear propriamente dito agora em 2021 e no meio da pandemia. Passou por diversas regravações por conta da agenda apertada de seus protagonistas: Tom Holland (o astro da Marvel Studios) e de Daisy Ridley (a protagonista da mais recente trilogia Star Wars), mas chegou com um lançamento nos cinemas.

Mundo em Caos – Crítica
Foto: Lionsgate/Murray Close

E a dupla até tenta salvar o filme com seu carisma e simpatia, mas no final Mundo em Caos não deixa de ser um completo caos narrativo e de apresentação de um novo mundo e de personagens. E ao mesmo tempo, confesso que até me diverti com o filme que tem seus momentos. São poucos, já aviso. Mundo em Caos não faz uma produção ruim, apenas nos entrega um filme que joga extremamente seguro em suas escolhas e a forma de que conta essa história. Não me pareceu um filme propriamente dito, e sim uma grande série de TV onde o botão do “continuar a assistir” ficou ligado o tempo todo sabe?

É tudo muito simples, com opções estéticas e narrativas no piloto automático e onde tudo parece que já vimos em diversos outros filmes e produções que abordam o cenário pós apocalíptico que Mundo em Caos apresenta, onde a grande lista de atores, com nomes bem conhecidos do público inclusive, tentam dar os seus melhores com esse cenário não muito promissor. E olha que Mundo em Caos tem muita gente boa no seu elenco, além dos já citados Holland e Ridley que até entregam boas passagens, temos também os atores Mads Mikkelsen, Demián Bichir e Cynthia Erivo que ajudam a contar essa história. Mas mesmo assim parece que o diretor Doug Liman quis gravar diversas cenas chaves e passagens da obra de Patrick Ness (que também assina o roteiro ao lado de Christopher Ford) e esqueceu de trabalhar o miolo e o que conecta essas passagens para se criar uma nova mídia, aqui visual e feita para os cinemas.

E com isso é como se os atores tentassem fazer tudo para tirar o melhor desse roteiro, onde a trama de Mundo em Caos peca por colocar diversos personagens na história, boa parte deles com algum tipo de segredo que é pobremente desenvolvido ao longo do filme. No filme, conhecemos um novo planeta onde os humanos vivem após deixarem a Terra e nessa nova casa, os homens têm a habilidade de ouvir os pensamentos uns dos outros, o que deixa esse mundo e as relações interpessoais um caos. E com a chegada de uma nave no planeta onde a única tripulante que sobrevive ao impacto é a “jovem do espaço” Viola (Ridley)  vem para mudar tudo isso.

Afinal, descobrimos também que as mulheres nesse novo planeta não têm essa habilidade, e assim, não conseguem ouvir e nem serem ouvidas. E no povoado onde vive o jovem Todd (Holland) não temos a presença de nenhum deles também. Assim, Mundo em Caos apresenta seus personagens de uma forma extremamente rápida, onde não dá tempo de pensarmos em nada e conectar os pontos que são jogados em tela de qualquer forma. Temos o prefeito do local, Prentiss (Mikkelsen), o pastor da região Aaron (David Oyelowo) e o inimigo de Todd, o jovem Davy Prentiss, Jr. (Nick Jonas) e a trama tenta nos prender em alguns mistérios e apresenta perguntas que são respondidas ao longo do filme na medida que Todd e Viola criam um laço de amizade e tentam sobreviver no meio desse caos todo.

"Mundo em Caos"
Mundo em Caos – Crítica
Foto: Lionsgate

E como falei Mundo em Caos tem seus momentos que valem a pena sim, seja os momentos onde Todd e Viola interagem na mata, afinal, a garota é primeira mulher que Todd conhece, ou até mesmo os efeitos especiais utilizados, e a forma como os produtores encontraram para mostrar os pensamentos, ou os ruídos, da mente dos personagens masculinos e todo o trabalho de construção desse mundo desde dos figurinos até as locações utilizadas me pareceu um trabalha extremamente cuidadoso, mas por outro lado, a adaptação da história soa como a mais branda possível. , onde o filme sofre com picos de marasmos que realmente só me fez olhar no relógio para ver quanto tempo faltava para terminar.  Mundo em Caos tem 1h50 de duração caso você se pergunte.

A jornada de Viola e Todd em fuga atrás de um dispositivo que possa contatar a frota que a jovem fazia parte até consegue dar um gás para a trama, mesmo que tudo que envolva essa parte da história acaba por se tornar um pouco mais cansativo de se acompanhar na medida que os obstáculos colocados são tão simples e que não mostram verdadeiros perigos como deveriam. Falta uma certa sagacidade para nos importarmos com esses personagens, e com essas ameaças, que no final temos filme que não ousa em deixar as coisas tão perigosas assim (talvez só para cachorros!). Nem mesmo a presença dos seres nativos do planeta, os ferozes Spackle são capazes de deixar a ameaça ser efetivamente importante aqui, o grande vilão do filme é o próprio filme.

No final, Mundo em Caos tenta ser o próximo grande blockbuster e a próxima franquia de sucesso, mas não consegue se destacar entre as outras aventuras sci-fi e faz aqui apenas um dos projetos mais fracos do últimos tempos no gênero, independente do talento de Holland e Ridley que acaba por ser desperdiçado.

Avaliação: 2 de 5.

Mundo em Caos chega em 13 de maio nos cinemas nacionais.

Arroba Nerd viu o filme em uma sessão para jornalistas feita pela Paris Filmes que seguiu todas as regras e recomendações das equipes de segurança.

RECOMENDAMOS AO LEITOR, QUE SE FOR ENCARRAR A VISITA AO CINEMA, SE PROTEGER E SEGUIR TODAS AS RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA CONTRA O COVID-19 IMPOSTAS PELAS ORGANIZAÇÕES DE SAÚDE.