Destaques Reviews Séries & TV 

Lovecraft Country | Crítica: Série mostra que intolerância é mais assustadora que monstros sobrenaturais

E realmente a HBO não está para brincadeiras em 2020, e vem produção atrás de produção nos impressionando com qualidade tanto técnica quando visual. Agora, o canal estreia a adaptação das histórias de Lovecraft Country e tem a oportunidade de explorar dois tipos de terror: o real e o fictício.

Lovecraft Country – Primeiras impressões
Foto: HBO

Estamos na década de 50, onde as Leis de Jim Crow imperam nos EUA e as pessoas negras sofrem com a segregação, são tratadas como cidadãos de segunda linha e vivem à margem da sociedade em diversas partes do país. E em Lovecraft Country acompanhamos nossos três protagonistas rumo à uma jornada de carro pelo sul do país, apenas com uma missão e um guia de viagem de ajuda para negros. E na série, Atticus (Jonathan Majors), George (Courtney B. Vance) e Leti (Jurnee Smollett) vão descobrir que nessa jornada há monstros muito mais perigosos do que aqueles que as lendas e o folclore dizem: a intolerância e o preconceito. 

E na vida real, de lá pra cá, vimos que pouco coisa mudou, ainda em 2020 existe uma tremenda diferença no tratamento com a comunidade negra tanto nos EUA, quando em boa parte do mundo, e o roteiro de Lovecraft Country mostra isso, com um tom de filme de terror e um sentimento angustiante de tensão nesse primeiro episódio. O ano de lançamento para série não poderia ser melhor, estamos em plena pandemia global, e no crescente, e continuo, movimento Black Live Matters, onde fica claro a intenção dos produtores e roteiristas de mostrar isso. Será que nossos protagonistas vão sobreviver a viagem? Quais outras ameaças que essa jornada trará para eles? Ao longo do episódio vemos o trio passar de cidade em cidade e sentir na pele o tratamento absurdo, mas que era comum na região há pouco tempo atrás.

É como acompanhar a jornada de um trio de personagens para dentro da própria história do autor H.P. Lovecraft, em Lovecraft Country eles precisam lutar contra os monstros reais de uma cidadezinha sulista e ainda os monstros que não imaginavam serem reais com garras afiadas, milhares de olhos e uma fome gigantesca. Eu não via alguém lutar contra um monstro gigante de uma forma tão impressionante como Jurnee Smollett fez em Lovecraft Country desde que Eleven derrotou o Demogorgon na primeira temporada de Stranger Things.  

O tom alucinante de perseguição impera os momentos finais do primeiro episódio, desde da saída correndo do restaurante que recusa os servir até mesmo o encontro com o xerife local que lidera um bando de racistas. Em Lovecraft Country tudo é criado para deixar o espectador tenso juntamente com os personagens e as situações que eles vivem.

Toda a parte do “vocês tem até o pôr do sol para sair da cidade” me deixou, ao mesmo tempo, com um nó na garganta e preso na ponta do sofá para saber o que iria acontecer. Mas claro, Lovecraft Country não é nenhum conto de fadas, e a realidade é muito mais cruel e impactante do que felizes para sempre, onde a série não adoça as dificuldades do personagens que acabam, logo em seguida, por encontrar um grupo de policiais no meio de uma floresta escura.

Lovecraft Country – Primeiras impressões
Foto: HBO

E toda essa aura de que alguma coisa estranha acontecerá a qualquer momento se dá muito por conta das boas atuações do elenco que está muito bem. A primeira parte do episódio 1 de Lovecraft Country leva um tempo para nos apresentar aos personagens e suas motivações que os levaram para a jornada rumo ao sul. George (Vance, ótimo), o editor do guia de viagem para negros e tio do ex-soldado Atticus (Majors) que está em busca do seu pai desaparecido após o jovem retornar de uma missão na Coreia, e ainda sua colega de infância a cantora Leti (Smollett num bom ano) que tem muitos problemas com os irmãos e sobre seu lugar em uma sociedade extremamente racista e misógina.

E o trio domina as cenas a todo momento e realmente fizeram a diferença aqui principalmente quando chegam no casarão, ah lá Hogwarts, todos cheios de sangue, no final do episódio. O ritmo crescente da história, o tom estético caprichado, e toda a ambientação da série é um grande acerto da HBO, num ano excelente para o canal. 

Produzido por Jordan Peele – dos filmes de gênero corra! (2017) e Nós (2019) – a série Lovecraft Country parece entrar para a galeria de mais uma produção que utilizará o terror como forma de mostrar e criticar as atrocidades de leis arcaicas e antigas, mas que estão ainda muito enraizadas na região sul dos EUA.

Com uma forma de contar sua história apoiada numa forte estética visual, e com a habilidade de conseguir navegar entre o que é assustador na ficção e na vida real, Lovecraft Country promete entregar uma história bastante intensa em sua proposta. Mal podemos para esperar para ver os próximos episódios.

Lovecraft Country será exibida todos os domingo na HBO e HBO GO às 22h.

Postagens relacionadas