Festival de Cinema de Gramado anuncia, em evento no Rio de Janeiro, Marcos Palmeira como principal homenageado de sua 50ª edição

O 50º Festival de Cinema de Gramado anunciou hoje (12 de julho) à noite, pela primeira vez em lançamento no Rio de Janeiro, que Marcos Palmeira será o grande homenageado deste ano. O ator, que esteve presente no evento, irá a Gramado para receber pessoalmente o troféu Oscarito, a mais tradicional honraria do festival, que este ano será realizado de 12 a 20 de agosto. A organização também anunciou os cinco filmes que compõem a mostra competitiva de Longas-Metragens Documentais, que neste festival serão exibidos exclusivamente na tela do Canal Brasil e no Globoplay.

O encontro teve como mestre de cerimônias a jornalista Renata Boldrini e reuniu no hotel Prodigy Santos Dumont o vice-prefeito de Gramado e presidente do conselho da Gramadotur, autarquia municipal responsável pelos eventos da cidade, Luia Barbacovi, a presidente da Gramadotur e Secretária de Turismo, Rosa Helena Volk, a curadora, Dira Paes, realizadores, produtores, atores e jornalistas.

Entre os convidados, estavam Cacá Diegues e a recém-eleita presidente da Academia Brasileira de Cinema, a produtora Renata Almeida Magalhães, o diretor Zelito Viana e a produtora Vera de Paula, pais de Marcos Palmeira, a cineasta Júlia Rezende e a atriz Bárbara Paz.

Durante o evento, foram revelados os cinco filmes da mostra competitiva de Longas-Metragens Documentais, que este ano deixam de concorrer com os filmes de ficção. Todos os documentários brasileiros em competição serão exibidos exclusivamente na tela do Canal Brasil, de 12 e 16 de agosto, sempre às 20h. As produções irão ao ar simultaneamente no Globoplay + Canais, além de ficarem disponíveis no streaming até 17 de agosto.

O festival, que tem curadoria de Dira Paes, Marcos Santuario e Soledad Villamil, já havia anunciado na semana passada os filmes selecionados. Veja lista completa no site oficial de Gramado https://www.festivaldegramado.net/.

Mostra Competitiva de Longas-Metragens no Canal Brasil

De 12/08 a 16/08, às 20h. No Canal Brasil e também no Globoplay + Canais

  • 12/08 (sexta) – Ademã – A Vida e as Notas de Ibrahim Sued, de Isabel Sued Perrin e Paulo Henrique Fontenelle
  • 13/08 (sábado) – Um Par para Chamar de Meu, de Kelly Spinelli
  • 14/08 (domingo) – Elton Medeiros – O Sol Nascerá, de Pedro Murad
  • 15/08 (segunda) – O Destino está na Origem, de Pedro de Castro Guimarães
  • 16/08 (terça) – Eu Nativo, de Ulisses Rocha

Transmissão ao vivo da cerimônia de premiação:

  • 20/08, sábado, às 20h45. No Canal Brasil e Globoplay + Canais

Marcos Palmeira – Troféu Oscarito

No ar como José Leôncio, protagonista da novela Pantanal, da Globo, Marcos Palmeira se destaca em diversos momentos de sua extensa carreira no cinema, na TV e no teatro. Em Gramado, já foi premiado com dois Kikitos de Ouro: Melhor Ator Coadjuvante por Barrela – Escola de Crimes (1990), de Marco Cury, e Melhor Ator por Dedé Mamata (1988), de Rodolfo Brandão. No Festival de Brasília, ganhou o Troféu Candango pelo filme Anahy de Las Misiones (1997), dirigido por Sérgio Silva. Em 2021, ganhou o prêmio de Melhor Ator no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, pelo papel-título no longa Boca de Ouro, de Daniel Filho. Marcos também foi indicado ao Emmy Internacional (2013) pela atuação na série Mandrake, da HBO, como Mandrake.

Ator, empresário e ambientalista, Marcos Palmeira nasceu no Rio de Janeiro, no dia 19 de agosto de 1963. Sua estreia no cinema foi aos cinco anos de idade, com uma participação em Copacabana me Aterra, curta-metragem dirigido por Artur da Távola, e já atuou em mais de 40 filmes, entre eles mais de 30 longas-metragens e também documentários e curtas.

Marcos atuou em dezenas de trabalhos na televisão, em novelas consagradas como a primeira versão de Pantanal (1990), da extinta Rede Manchete, e na Rede Globo em obras como Vale Tudo (1988), Renascer (1994), Irmãos Coragem (1995), Torre de Babel (1998), Andando nas Nuvens (1999), Porto dos Milagres (2001), Esperança (2002), Celebridade (2003), Belíssima (2006), Cheias de Charme (2012), O Rebu (2014), Babilônia (2015), Velho Chico (2016) e A Dona do Pedaço (2019). Fez ainda, séries e minisséries consagradas como Memorial de Maria Moura (1993), dirigida por Denise Saraceni, Mandrake (2005–07 e 2012), e O Canto da Sereia (2013), dirigida por José Villamarim.

Quando o assunto é sustentabilidade, Marcos tornou-se referência como ambientalista, defendendo alimentação aliada à preservação dos ecossistemas naturais, através do trabalho que desenvolve na fazenda Vale das Palmeiras, onde cultiva hortaliças e produz laticínios orgânicos. Em 2010, recebeu o Prêmio Faz Diferença do Jornal O Globo e, em 2008, o Prêmio Trip Transformadores, na categoria Alimentação – Gestão e Inteligência, pela atuação da sua fazenda.

Filmografia:

  • 1968 Copacabana me Aterra, Artur da Távola
  • 1982 O Segredo da Múmia, Ivan Cardoso
  • 1984 Garota Dourada, Antônio Calmon
  • 1984 Nunca Fomos Tão Felizes, Murilo Salles
  • 1984 Memórias do Cárcere, Nelson Pereira dos Santos
  • 1985 A Espera, Luiz Fernando Carvalho e Maurício Farias (Curta-metragem)
  • 1986 SOS Brunet, Betse de Paula (Curta-metragem)
  • 1986 A Cor do Seu Destino, Jorge Durán
  • 1986 Fulaninha, David Neves
  • 1986 Trancado por Dentro, Arthur Fontes (Curta-metragem)
  • 1987 Ele, o Boto, Walter Lima Jr.
  • 1987 Leila Diniz, Luiz Carlos Lacerda
  • 1987 Romance da Empregada, Bruno Barreto
  • 1987 Um Trem Pras Estrelas, Carlos Diegues
  • 1988 Dedé Mamata, Rodolfo Brandão
  • 1988 Por Dúvida das Vias, Betse de Paula (Curta-metragem)
  • 1990 Barrela: Escola de Crimes, Marco Antonio Cury (Curta-metragem)
  • 1990 Stelinha, Miguel Faria Jr.
  • 1991 Vai Trabalhar, Vagabundo II: A Volta, Hugo Carvana
  • 1995 Carlota Joaquina, Princesa do Brazil, Carla Camurati
  • 1996 Buena Sorte, Tânia Lamarca
  • 1997 Anahy de las Misiones, Sérgio Silva
  • 1997 O Amor Está no Ar, Amylton de Almeida
  • 1998 Como Ser Solteiro, Rosane Svartman
  • 2000 Villa-Lobos – Uma Vida de Paixão, Zelito Viana
  • 2001 O Casamento de Louise, Betse de Paula
  • 2003 Dom, Moacyr Góes
  • 2003 Oswaldo Cruz, O Médico do Brasil, Silvio Tendler (Curta-metragem)
  • 2004 Expedição A´Uwe – A Volta de Tsiwari, Marcos Palmeira e Laine Milan (Documentário)
  • 2007 O Homem que Desafiou o Diabo, Moacyr Góes
  • 2008 A Mulher do Meu Amigo, Cláudio Torres
  • 2009 Quase um Tango, Sérgio Silva
  • 2009 Bela Noite para Voar, Zelito Viana
  • 2012 E aí, Comeu, Felipe Joffily
  • 2013 Vendo ou Alugo, Betse de Paula
  • 2014 Os Homens são de Marte… e É pra lá que Eu Vou, Marcus Baldini
  • 2014 A Noite da Virada, Fábio Mendonça
  • 2016 Mogli, o Menino Lobo, Jon Favreau (Dublagem)
  • 2018 Minha Vida em Marte, Susana Garcia
  • 2019 O Barulho da Noite, Eva Pereira
  • 2020 Boca de Ouro, Daniel Filho
  • 2020 A Divisão: O Filme, Vicente Amorim
  • 2021 Intervenção: É Proibido Morrer, Caio Cobra

*Crédito da Foto em Destaque: Rogério Faissal

Deixe um comentário