Críticas Filmes 

TIFF 21 | Encounter: Riz Ahmed entrega uma intensa atuação em um interessante longa de sobrevivência

Do que se trata Encounter:

O diretor britânico Michael Pearce retorna ao TIFF depois de na edição 2017 apresentar o longa Beast. Aqui, Pearce tem a parceria do ator Riz Ahmed com Encounter, um filme de suspense para a Era da divisão cultura e da ameaça constante que nunca acaba.

Na trama, acompanhamos o soldado da Marinha, Malik Khan (Ahmed) que é treinado para identificar riscos. Mas o que aconteceria se o risco for o mais comum possível? Malik vê insetos. Insetos do mal. Insetos alienígenas que querem controlar as pessoas, uma à uma. Malik não pode convencer o mundo disso e ligar o alarme, mas ele pode pelo menos tentar proteger seus dois filhos de uma invasão parasita global. O que ele faz? Sequestra os rapazes da casa da estranha ex-esposa.

O longa tem roteiro de Joe Barton e tem ainda conta com a atriz vencedora do Oscar, Octavia Spencer em um papel de coadjuvante que fará o espectador reconsiderar tudo que já viu. Além de Ahmed, temos a presença cativante dos atores mirins Lucian-River Chauhan e Aditya Geddada.

O que achamos:

Um aviso antes de mais nada, Encounter é um filme com reviravolta! Assim, sugiro que o espectador vá assistir o filme, assim como, sem saber nada da trama, ou no máximo a sinopse e outras poucas críticas. Garanto que a experiência do longa será muito mais interessante. Afinal, Encounter é mais um veículo para o ator Riz Ahmed que aqui, novamente retorna ao TIFF com uma atuação incrível depois do intenso Sound of Metal que estreou no festival em 2019 e chegou na temporada de premiação do ano passado.

Torcendo para a Amazon investir na campanha do ator novamente que a categoria ainda não tem favoritos hein? Ahmed realmente se destaca como esse pai de família que parte em missão com os filhos (as crianças são ótimas!) depois que insetos começam a controlar os humanos. A atmosfera carregada e de paranoia que Encounter entrega é uma no estilo Um Lugar Silencioso, sem a parte do silêncio, afinal, o trabalho de produção do longa é um muito mais intensificado ao trabalhar o uso do som e de outras imagens gráficas para ajudar a contar essa história. O barulho dos insetos, os zumbidos e a ameaça constante e quase invisível que eles apresentam são intensificadas na medida que Malik precisa contar para os filhos (e para nós os espectadores) o que acontece no mundo quando esses parasitas chegam a dominar o corpo de uma pessoa.

E em Encounter tudo é muito rápido, afinal, em menos de 20 minutos já conhecemos a personalidade de Malik, com todos os seus relatórios de ameaças, seus estudos, e seu kit de guerra de sobrevivência, sua ex-esposa Piya (Janina Gavankar), o novo marido dela Dylan (Misha Collins) e seus filhos, os jovens Jay (Lucian-River Chauhan) e Bobby (Aditya Geddada, que entrega uma autêntica atuação) e a relação complicada que existe entre eles. Os garotos idolatram o pai, e sentem falta dele, e assim embarcam nesse aventura para tentarem chegar em uma base que tem cientistas e outros pesquisadores envolvidos nesse projeto hyper secreto.

Encounter então vem desse começo agitado e muito rápido onde somos jogados nessa história para logo depois, quando essa família está dentro do carro, começarmos a nos questionar, assim como os garotos, sobre o que realmente acontece. Como os insetos entram no corpo?; Como eles agem?; Como nos protegemos? E se é que existe uma chance de proteção e tudo mais. Malik responde tudo isso no meio da estrada, na madrugada, e vende para os filhos que a mãe foi infectada e que eles não estão seguros e promete uma grande aventura, uma grande viagem em uma missão secreta que ele está envolvido, e assim, garante para os meninos bons momentos juntos.

A forma como Malik tenta tranquilizar os filhos mostra muito bem a complexa personagem que Ahmed cria para esse personagem, afinal, sabemos que alguma coisa de errado realmente acontece, e o que parece ser apenas uma viagem se torna uma viagem de sobrevivência, onde chega um determinado momento do longa que nosso protagonista não consegue mais adoçar a viagem e dá um choque de realidade nos meninos sobre as diferentes ameaças que existem em nosso mundo e não é preciso de meteoros que caem do espaço ou insetos alienígenas para vermos acontecimentos ruins aconteceram. É isso que esse pai e filhos vivenciam no meio do caminho, é a presença truculenta da polícia, o racismo em uma cidade grande, e as próprias diferentes entre eles que ficam em evidência na medida que a viagem não segue os planos que Malik tinha.

Octavia Spencer demora para adentrar na história e no filme, mas sua personagem é suma importância para o desenrolar da trama e realmente Spencer segura as pontas aqui como Hattie. No melhor dos mundos, a atriz também receberia uma indicação… mas, talvez, Encounter seja mesmo um filme difícil de trabalhar, afinal, por conta de sua história cheia de pequenos momentos que mudam a forma como a trama é contada. Deve ser um filme que vai dividir o gosto do público, já que sua parte final, o longa muda nossa visão sobre os personagens, a história, e tudo mais, mesmo que as atuações fiquem mais intensas e mais dramáticas.

No final, Encounter é um filme sobre o poder das pessoas uma sobre as outras, as influências, e claro, sobre fazer o que é certo nas mais difíceis, e surreais, circunstâncias. O único encontro que esses personagens tem acaba por ser pelo pesos de suas ações e como isso afeta a si mesmos e principalmente os outros. A grande reviravolta fica nisso, bem mais do que a mudança brusca que a trama dá na sua metade.

Chega no Prime Video em 10 de Dezembro de 2021.

Avaliação: 3 de 5.

Visto em sessão digital da edição 2021 do Festival de Toronto.