Artigos Filmes 

[Artigo] Como ficará o calendário de lançamentos nos cinemas? Depois do surto de coronavírus, os estúdios planejam o restante do ano.

As vantagens que os grandes estúdios e os filmes blockbusters tem no calendário de lançamentos é enorme, onde o público se vê apenas na ponta final de uma cadeia que dá muito trabalho para se colocada em prática, mas que ao mesmo, tempo gera bilhões de dólares todo ano.

Apenas em 2019, a industria arrecadou mais 42 bilhões de dólares ao redor do mundo*. E com o surto de coronavírus engolindo todos os próximos lançamentos nos cinemas, até a metade de Maio, e mirando agora os lançamentos de Junho, como será que ficará o calendário de lançamentos do ano?

Até agora, muitos analistas consideram essa metade do ano já perdida. Uma bola de neve gigantesca, claro, se formou com os inúmeros adiamentos da semana passada.

AS PRÁTICAS DO MERCADO

Os estúdios planejam as datas de lançamento de seus principais lançamentos com anos de antecedência, alguns com mais cacife para bancar e seguras datas do que outros, vide a Disney que tem um calendário anunciado até pelo menos 2027.

O novo 007 foi um dos primeiros filmes adiados por conta do coronavírus
Foto: Universal Pictures

Os grandes lançamentos da primavera americana como 007 – Sem Tempo Para Morrer (Universal Pictures), Um Lugar Silencioso – Parte 2 (Paramount Pictures), Mulan (Disney), Velozes 9 (Universal Pictures), e Viúva Negra (Disney) foram já todos adiados. Sendo que apenas os lançamentos da Universal Pictures tem novas datas de estreia, como o novo 007 que ficou para Novembro, e Velozes 9 que foi jogado para Abril de 2021, no lugar que o estúdio planejava lançar, Velozes e Furiosos 10.

E como falamos, o calendário dos filmes é pensado com anos de antecedência, um time gigantesco de profissionais, e por seguir, e repetir, um certo padrão. Os filmes que miram o Oscar ficam concentrados no final do ano perto da temporada de premiações, os grandes blockbusters no verão americano, e as animações nas férias para atrair as crianças. E os estúdios, até mesmo usam e planejam outras datas, como o Dia das Mães por exemplo, para capitalizar e tentar atrair a atenção do público comum, não só os cinéfilos e a imprensa especializada. Em 2017, a Paramount Pictures lançou o primeiro cartaz do longa mãe! (dir. Darren Aronofsky com Jennifer Lawerence) no dia das mães, e agora, em 2020, a Lionsgate colocou a estreia de Run (dir. Aneesh Chaganty com Sarah Paulson) para ser lançado no final de semana de 8 de maio (o longa foi adiado no começo da semana).

Tudo é estrategicamente pensado pelos times de distribuição e marketing para efetivamente fazer o espectador ir ao cinema, e claro vender ingresso. E é isso que é a intenção dos exibidores, não é mesmo? John Krasinski deixou isso claro em sua carta sobre o adiamento de Lugar Silencioso – Parte 2 ao citar a “experiência de se ver o filme em uma tela grande”.

E agora que a China, que foi o início do surto do coronavírus, já começa a planejar seus próximos lançamentos quando os cinemas abrirem, como será que ficará a grade ao redor do mundo?

Uma tarefa complicada digna dos super-heróis que invadiram os cinemas nos últimos 10 anos. Em matéria para a Forbes, um de seus analistas afirma que o verão americano de 2020 era muito mais importante para a Warner Bros do que para a Disney, por exemplo.

O FUTURO

O lançamento de Mulher-Maravilha 1984 (que foi adiado de Novembro de 2019 para Junho de 2020) é muito mais importante para o estúdio, e que precisa mais dar certo, do que para a Disney com o adiamento de Viúva Negra.

A Warner teve um ano de 2019 que suas produções não foram tão bem financeiramente do que a rival da Casa do Mickey, mas o estúdio ainda tem as chances de ter um verão americano incrível com a sequência de Mulher-Maravilha (junho), Em um Bairro de Nova de York (junho lá nos EUA, Agosto aqui), e Tenet (Julho) depois de um 2019 abaixo do esperado né?

E considerando que Junho seja o mês que grande parte dos lançamentos voltem a ser divulgados, os filmes e blockbusters irão lutar para manter suas datas com certeza. Vamos dar uma analisada e olhada em como as peças do quebra-cabeça possa ser montado.

Mulher-Maravilha 1984 é a esperança de Hollywood para o retorno do público ao cinemas quando o surto de coronavírus passar.
Foto: Warner Bros Pictures

Primeiro que os estúdios precisaram realocar seus lançamentos antigos que se beneficiariam com o feriado Spring Break em Março e com o feriado do Memorial Day em Maio, para datas ao longo do verão. Temos junho inteiro com 4 semanas, sendo que duas delas devem ser gastas com Mulher-Maravilha 1984 (Warner Bros) que é capaz de impulsionar a volta aos cinemas. Até lá temos também lançamentos que podem se beneficiar de outro feriado como 4 de julho, único na data até agora é Free Guy (20th Century Studios), e até mesmo jogar para alguns para meses menos disputados como Agosto e Setembro.

Aqui no Brasil, junho e julho são marcados pelas férias escolares, onde cada semana é preciosa, e teria também uma quantidade de lançamentos marcados a cada semana.

Talvez, o único filme que não precise se preocupar muito seja Viúva Negra onde a Disney deverá reservar uma das melhores datas no concorrido calendário, quem sabe até no 4 de julho. Já Mulan precisará desviar da própria Disney com o lançamento da animação Soul (Junho), da comédia de ação Free Guy (Julho), e do longa Jungle Cruise (julho). Fica claro que talvez, algum deles mude de data para acomodar a guerreira que deve enfim fazer sua estreia na China.

O mesmo vale com Um Lugar Silencioso – Parte 2 que precisará enfrentar a atenção que a Paramount Pictures dará para o seu principal lançamento do ano, o filme Top Gun Maverick (Julho) com Tom Cruise. Um Lugar 2 ainda precisará fugir dos outros filmes do gênero que foram adiados como Antebellum (A Escolhida no Brasil), Run (Fuja no Brasil) , e Espiral – O Legado de Jogos Mortais, e ainda outros filmes como Maligant (Agosto, Warner Bros de James Wan) e Invocação do Mal 3 (Setembro, Warner Bros) .

E ainda não podemos esquecer de Artemis Fowl que o melhor cenário para o filme seria se ele fosse lançado no streaming do estúdio, o Disney+, e claro, O Novos Mutantes que poderia ser muito bem lançado logo de uma vez no Hulu. Afinal, a dupla de filmes irá precisar fugir de outros blockbusters, principalmente os da Sony Pictures como o novo Ghostbusters (Julho) e Morbius (Julho).

O RESTANTE DO ANO

Mas se o verão americano não der conta para ter tantos filmes, de lá até Outubro, com Venom 2 (Sony Pictures) e Hallowen Kills (Universal Pictures), e Novembro, com os filmes para família por conta do feriado de ação de graças, existe várias semanas em aberto que possam ser ocupadas.

Segundo Jeff Bock do Exhibitor Relations em entrevista para a revista Variety diz “Os estúdios irão precisar recalibrar e fazer as coisas diferentes”. Coisa que já vemos acontecer com os lançamentos antecipados de filmes fora da janela tradicional de lançamento.

2020 já foi um baque enorme para Hollywood num ano que muitos analistas previam ser a retomada dos estúdios contra a hegemonia da Disney, que parece agora estar no mesmo barco que todos.

*Informações do comScore.

Postagens relacionadas