Filmes Notícias 

Cinemark volta atrás e deve seguir acordo parecido que a rede AMC tem com a Universal Pictures

Bem durou apenas alguns trimestres a declaração de Mark Zoradi, o CEO da Cinemark, sobre novos acordos sobre os lançamentos dos filmes nos cinemas e a mudança na janela de exibição de três meses para algumas semanas.

Cinemark não deve seguir mesmo com acordo da Universal Pictures com rede AMC, afirma executivo

Agora durante a reunião do Q3 (o terceiro trimestre), Zoradi afirmou que o Cinemark começará adotar um “regra dinâmica” quando se trata das janelas de lançamentos exclusivos nos cinemas.

E o acordo da rede concorrente AMC (nos EUA é o número 1 e o Cinemark o número 3) com a Universal Pictures mudou tudo. Agora, a Cinemark diz que seu o novo plano é que não há regras de exclusividade.

O Cinemark discutirá a janela de exibição de cada filme, caso a caso, filme por filme e estúdio por estúdio, e calculará quanto tempo cada um deles terá. Blockbusters terão janelas maiores e filmes com baixo orçamento terão outras. “Isso permite que um estúdio monetize um filme mais rápido, porque ele não estará nos cinemas por tanto tempo”, disse Zoradi.

Os novos filmes que chegam no circuito serão exibidos nos cinemas da rede AMC por pleno menos três semanas, ou finais de semana, já no Cinemark teremos um acordo parecido, mas que não foram informados os dias/semanas que ficarão. Os filmes dos outros estúdios também terão acordos, mas como falado serão avaliados caso a caso, e o executivo não deu números de dias que eles trabalham Assim, além de passarem nos cinemas da rede AMC, os filmes da Universal também passarão no Cinemark.

Com o adiamento dos filmes da 20th Century Studios em Dezembro, somente a Warner Bros. e a Sony Pictures terão grandes lançamentos no mês, por enquanto. Em entrevista, o executivo falou que esses papos já estavam rolando desde de antes da pandemia. Ele afirmou “Não é novo, claramente, consideramos o ambiente atual.”

A Cinemark em reunião para os investidores afirmou ter pedido mais de 140 milhões de dólares nos últimos meses. A receita da empresa caiu de US$957 milhões (2019) para US$35 milhões (2020) no período dos três meses analisados no ano fiscal.

Postagens relacionadas