Destaques Reviews Séries & TV 

Castlevania | Crítica 4ª Temporada: Sangrenta e com animação belíssima, Netflix acerta no ponto certo o encerramento da série

Chegou na Netflix a 4ª e última temporada de Castlevania (2021), e podemos dizer que seus 10 episódios encerram a trama no tempo certo, com desenvolvimento para seus personagens, muito sangue e uma belíssima animação, colocando o estúdio Powerhouse Animation em um patamar sensacional.

Mesmo com diversas tramas paralelas, como quem quer ressuscitar Drácula, ou quem são os responsáveis pelo reino inferior de uma cidade, a trama sabe contar a história de Carmilla e suas irmãs, Trevor e Sypha, Alucard, Saint German, Hector e Isaac, além da chegada de Varney, Dragan, Greta e Zamfir. São vários nomes, mas com desenvolvimentos tão certeiros que você se empolga com a trama de cada um deles.

A trama principal deste ano de Castlevania é “quem quer ressuscitar Drácula?” e tudo ao redor disso fica interessante, pois se temos Trevor e Sypha lutando sem nem pensar nos próximos passos para evitar que isso aconteça, Alucard acaba caindo em uma armadilha sem perceber, seja na armadilha dos sentimentos por Greta, seja na de Saint German, que se mostra mais inescrupuloso do que nunca. Ele chega a usar todos os habitantes da cidade de Greta para chegar a Alucard e assim ao castelo de Drácula.

Se da parte dele tem essa busca implacável pela alquimia e se equiparar a um deus, Carmilla quer dominar o império, e ter ao seu lado Hector controlado por Lenore. Enquanto isso Morana e Striga ficam mais na linha de combate, e sentem-se rechaçada por Carmilla, e o poder que ela quer infringir em cima dos outros acaba indo por terra quando Isaac retorna para destruir os clãs de Dracula. É aí que ele e Hector se reconectam e acabam se perdoando, e com a destruição de Carmilla, que poderia ser melhor aproveitada, acabam liberando Lenore, que decide ir para o sol, e Morana e Striga que fogem para viver o amor das duas.

Trevor e Sypha acabam encontrando em seu caminho Zamfir, que jura que sua cidade irá se reerguer e seus reis estão vivos no subsolo, mas eles acabam descobrindo que na verdade eles estão mortos, e com Varney e Dragan os atacando, eles ainda veem que há muito mais por trás da ideia de trazer Dracula de volta a vida, e no meio de muitos problemas, eles acabam indo para o castelo de Dracula, que está ao lado da biblioteca dos Belmont.

O mais interessante no desenvolvimento dessa temporada final de Castlevania é que as coisas vão acontecendo e você vai vibrando com esses acontecimentos, e principalmente por não enrolarem muito, já que tem várias histórias paralelas para contarem, seja dos personagens principais, seja para nos situar da situação dos humanos ou monstros que estão no entorno dessa luta.

A luta final, com a descoberta de que Saint German estava sendo controlado por Varney, que na verdade descobrimos ser a própria Morte, Castlevania nos entrega uma animação sensacional, com várias lutas pelo castelo de Drácula que nos faz ficar sem fôlego, com Alucard, Greta, Sypha e Trevor correndo contra o tempo…

Ao fim dessa temporada Castlevania traz um final bem interessante, para Dracula e Lisa que estão vivos e longe da vista de todos, Alucard apaixonado e criando o povoado dos Belmont ao redor do castelo, com ajuda de Greta e Sypha, que acaba ficando grávida e achando que Trevor morreu na luta contra a Morte.

Castlevania no fim entrega algo bem intenso, cheio de ganchos para possíveis continuações e spin-off, uma vez que a trama destes personagens podem se encerrar aqui e criar novas possibilidades para os filhos de Sypha e Trevor… Quem conhece o jogo fica esperando por confirmações de novas tramas.

Castlevania tem todos os episódios de suas 4 temporadas disponíveis na Netflix.