Críticas Filmes 

A Missy Errada | Crítica

Missy sem noção nenhuma. Ponto. Essa é a crítica de A Missa Errada (The Wrong Missy, 2020), a nova comédia da Netflix, estrelada pela atriz Lauren Lapkus. 

A trama do longa entrega uma história completamente pirada, exagerada e com momentos de puro non-sense. A Missy Errada entrega uma comédia insanamente ruim, mas não deixa de arrancar algumas risadas. Sabe o que falta para a comédia ficar ainda mais louca? Se o protagonista fosse Adam Sandler, aí A Missy Errada seria uma sequência de situações embaraçosas sem tamanho.

Mas, temos aqui a dupla Lauren Lapkus e David Spade que garantem que esses momentos acontecem mesmo assim. Na comédia, Missy (Lapkus) acaba por ir na conferência da empresa de Tim (Spade) por engano, afinal o recém solteiro rapaz, acaba por responder a Miranda errada na sua lista de contados. 

E a confusão gera essa aventura nas praias ensolaradas de um ilha onde os colegas de Tim se reúnem na busca de uma promoção para ver quem será o próximo presidente da empresa. A Missy Errada parece ter sido tirada das boas e velhas comédias da Sessão da Tarde dos anos 80, o tema do nosso último podcast, mas aqui não entrega a mesma sutileza e agradabilidade vista nos longas daquela época.

A Missy Errada
A Missy Errada | Crítica
Foto: Katrina Marcinowski/NETFLIX

A Missy de Lapkus está ligada no 220V, balbucia palavras, trejeitos, e olhares assustadores o tempo todo, o que fica um pouco cansativo de se acompanhar confessamos. Todas as situações que a dupla aparece são exageradas e envergonhosas, onde os destaques ficam para a personagem pulando de um penhasco com um efeito especial criado por computação gráfica horrível, e a outra onde a mesma vomita numa lancha, e um dos membros da tripulação (Rob Schneider) dá um soco no tubarão que resolve atacar os convidados. Sim, A Missy Errada esse nível de comédia, onde mesmo que tenha piadas e um humor mais físico que garantem um sorriso aqui e ali, e risadas pontuais, em termos de narrativa a comédia parece fica presa no fundo do oceano. 

Todo o arco que envolve a busca de Tim por um novo amor, acaba por fazer que a trama seja a mais batida possível, afinal temos aqui o clássico os opostos se atraem que vemos há anos nas comédias românticas. A Missy Errada apenas entrega um temperinho mais exagerado e que deixa todos os personagens serem retratados de uma forma caricata e completamente rasos. 

Para 1h20, A Missy Errada até que tem muito filme para contar, e mesmo por mais surreal e energética que a história seja, pode até valer para o espectador que quiser ter alguma companha ao lavar a louça ou arrumar a casa nessa quarentena. Com certeza você encontra uma opção mais divertida e interessante no catalogo. 

[yasr_overall_rating null size=”–“]

A Missy Errada está disponível na Netflix.

Postagens relacionadas