Young Sheldon | 1×12 – A Computer, a Plastic Pony, and a Case of Beer

A evolução de Young Sheldon é uma delícia! Como já venho dito, acompanho a série completamente a parte de The Big Bang Theory, até porque a série já começou a criar uma linha o tempo a parte, visto que já contradisse algumas coisas que vimos nos 11 anos da série mãe. O importante é que a série é pura diversão e o menino Ian Armitage é sensacional.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A vontade de Sheldon em ter o novíssimo Tandy 1000 SL acaba criando um atrito entre George e Mary, onde ele acha absurdo pagar por algo tão caro e ela resolve abrir o jogo que tem uma “conta” a parte onde irá tirar o dinheiro para comprar o aparato, onde até ela poderia dar conta de organizar suas receitas (sugestão de Sheldon).

Os dois discutindo de dinheiro e ela resolvendo ir morar com Meemaw foi excelente, principalmente na questão das crianças, onde Junior resolveu ficar com o pai e Sheldon e Missy foram para casa da avó com a mãe. Junior ainda é tratado de forma estranha e poderiam melhorar suas tramas, enquanto Missy é um brilho a parte. A relação dela e do irmão nos lembra muito a forma como retratam Sheldon e Penny.

No fim eles resolvem o empasse do computador e ainda discutem coisas de casa que homens não fazem sozinho, mesmo que ressaltem um estereótipo forte da mulher dona de casa, o que soa um pouco negativo, ao mesmo tempo que colocam Mary como forte perante o marido e ainda dá conta de tudo.

Ponto alto do episódio é a conversa de Sheldon com ELIZA, a assistente pessoal do computador, que é completamente evasiva em suas respostas, Missy se diverte horrores com suas perguntas para ela, enquanto Meemaw fica completamente avulsa da nova tecnologia, curiosa com a utilização do mouse.

Young Sheldon sabe brincar consigo, traz um retrato dos anos 80 de forma deliciosa, além de trabalhar de forma bem leve os dramas de casal na criação de 3 filhos tão diferentes.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.