Young Sheldon | 1×05 – A Solar Calculator, a Game Ball, and a Cheerleader’s Bosom

Como me diverti neste 5º episódio de Young Sheldon. A trama do pai se envolvendo com o filho para salvar o time de futebol foi clichê, mas amei o desenvolvimento e como isso afetou até o irmão de Sheldon. Outra que tem roubado a cena é Meemaw, a avó sem noção e adorável dos meninos.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

As conversas dela com Mary sobre Sheldon não ser filho de George são hilárias, mas o melhor é ela se aproximando do neto para ele fazer os cálculos dos jogos, só que com Sheldon trapaceando e ela não lhe pedindo mais favor. A cena final dela com Vincent, o cobrador de suas dívidas, foi sensacional.

Voltando a Sheldon, foi legal vê-lo mais próximo do pai, George ali compreendeu a genialidade do filho, mas as escolhas dele é que complicou. Gostei das consequências dele ganhar os jogos, e o nojo de Sheldon em ser levantado e tocado a todo instante.

Junior com ciúmes foi legal, e até Missy se aproveitou do sucesso do irmão para fugir com ele e Tam para uma festa. Outro ponto é a forma que Sheldon conseguiu sair de tudo isso, ao dedurar todo mundo para sua mãe, quando ele tira um inaceitável B+.

No final Young Sheldon é uma comédia simples, com uma ótima trilha sonora e seus momentos clichês, mas o que mais tem me feito gostar dela é eu isentar a série de The Big Bang Theory, vendo-a como algo a parte e até ignorando os comentários avulsos de Jim Parsons sobre como as coisas afetaram Sheldon no futuro, pois uns não tem a menor graça da forma que ele comenta.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.