Young Sheldon | 1×03 – Poker, Face, and Eggs

O segundo episódio de Young Sheldon para mim não segurou o ritmo de seu episódio piloto, mas teve seus momentos até que interessantes, principalmente com as implicações de Sheldon e a forma como já ouvimos suas historias em The Big Bang Theory. Meu maior problema é imaginar essa série quebrando a forma como sempre vimos Sheldon, mas não é algo a se preocupar aqui…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Este 3º episódio vemos como Meemaw é carinhosa com Sheldon e tem paciência em lhe ensinar as coisas, como blefar em um jogo de poker, mostrando todos os motivos para ele ter um carinho tão grande pela avó. Ainda é interessante ver mais de sua relação com Missy, sua irmã gêmea. A garota consegue lhe por medo, ao mesmo tempo que é seu porto seguro. As conversas dos dois no quarto escuro são ótimas.

Aqui até George teve seu momento, quando seu pai vai para o hospital e ele pega o carro da avó e foge com os irmãos, mostrando mais um dos motivos de Sheldon ter medo de direção. Meemaw teve que rebolar para explicar a situação para Mary, mas soube ser bem condizente com os netos. Mais um bom momento deles.

George pai teve um pequeno problema cardíaco, mas está de volta a ativa, e sabendo sua história com Mary, é de ficarmos puto imaginar ele os abandonando por outra pessoa.

Ponto alto para todos os momentos de Sheldon na igreja batendo de frente com o padre e se contendo para não detonar ele. Missy e Meemaw torcendo pelo rapaz é hilário, enquanto Mary fica em uma situação complicada com o filho e com a comunidade. Eles usam a discussão de forma bem superficial para não ofender ninguém, mas sabem conduzir isso de forma engraçada.

Young Sheldon continua nos fazendo ficar apaixonados pela atuação e carisma de Iain Armitage e Raegan Revord, e agora temos em Annie Potts (Caça-Fantasmas, The Foster) uma avó pra frente e amável.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.