Yesterday | Crítica

Você poderia imaginar um mundo sem sua banda favorita? Ou sem músicas que te tocaram e conversam com você? E com isso, Yesterday chega como um dos sopros de originalidade que Hollywood apresentou em 2019 até agora. Yesterday faz um exercício de pensamento ao lidar com uma trama “what if?” para mostrar a vida de um cantor que acorda num mundo onde a banda The Beatles nunca teriam lançado seu maiores hits. 

Com direção de Danny Boyle, Yesterday faz um filme sobre escolhas, sonhos, esperanças, destino e definitivamente é um filme que pode ficar na coluna “Vá assistir” na sua listinha de produções para se ver no cinema.

Himesh Patel in Yesterday (2019)
Yesterday – Crítica | Foto: Universal Pictures

Divertido, e com uma sacada interessante Yesterday tem um daqueles roteiros que sabe unir bons momentos, com boas atuações, mesmo que ao longo do caminho se perca em algumas questões que dão para o longa aquela famosa barriga, sabe? 

Mas, para o espectador e principalmente os fãs da banda inglesa, Yesterday deve emocionar ao mostrar o mundo do avesso que Jack (Himesh Patel, talentoso e muito bem aqui) encontra ao descobrir, após um acidente, que as coisas estão um pouco diferente do que ele deixou. O mundo não tem mais Coca-Cola, e principalmente, para ele como músico, a banda Beatles nunca existiu. Um grande choque, que Jack vê como uma oportunidade

Assim, o maior mérito de Yesterday seja em não fazer um musical tradicional, e sim, inserir as músicas da banda em momentos chaves e que casam muito bem com a trama. Seja a melancólica Yesterday que Jack canta para os amigos num encontro no final da tarde, para logo descobrir que ninguém a conhece, ou ainda Let it Be que ele canta para os pais que mostram nunca terem acredito no sonho do filho, ou ainda Hey Jude que os produtores, liderados por Ed Sheran que faz uma hilária participação, querem trocar para Hey Dude. Tudo em Yesterday tem um humor mais rebuscado, com referências para a banda colocadas de uma forma bem sutil, mas que para o olhar treinado e atento deve entregar uma boa caça ao tesouro. 

Liberada a trilha sonora de Yesterday, filme do rapaz que fica preso num mundo onde banda The Beatles nunca existiu.

Com uma paleta de cores que parecer ficar mais colorida quando o músico vê o trabalho dos Beatles de volta para o mundo, e as boas jogadas de câmera, compensam alguns momentos que Yesterday deixe a desejar. Ao precisar desenvolver sua estrutura narrativa com uma velocidade maior do que esperado, e para dar conta de tocar em vários pontos que a trama que chegar, o roteiro de Richard Curtis, foca em diversas perguntas ao longo do filme, e precisa casar todas elas em pouco tempo. O principal questionamento fica em indagar como será que Jack irá lidar com a pressão de mentir para o mundo todo sobre ter escrito boas músicas? Para logo rapidamente mudar para focar no relacionamento do personagem com a figura de Ellie (Lily James), a melhor amiga/interesse amoroso/agente.

Imagem relacionada
Yesterday – Crítica | Foto: Universal Pictures

Assim, Yesterday tenta durante minutos preciosos colocar que as duas coisas precisam ser excludentes da vida do jovem, o que acaba e muito por inflar a trama do filme de uma maneira desnecessária. A parte pós acidente caminha de uma forma conflituosa entre uma comédia com um drama romântico. Mesmo com o tom mais bem humorado, Yesterday apela para situações um pouco mais dramáticas, onde o vai e vem desse mix acaba por ficar um pouco desnivelado. 

A empresária gananciosa interpretada pela atriz Kate McKinnon de uma forma surpreendentemente boa e a do amigo meio folgado Rocky (Joel Fry ótimo) são os contra pontos ideais ao longo da densa história amorosa que cerca os dois protagonistas. Assim como o filme, Yesterday parece ter escolhido seu caminho em seguir com a trama de uma forma um pouco mais robusta do que deveria. 

Sem perder o charme único, com momentos espirituosos e boas sacadas, Yesterday faz um confort film para uma ida descompromissada ao cinema, onde numa época onde tudo precisa ser épico, ou ter grandes nomes para chamar atenção, Yesterday garante que All You Need Is Love

Nota do Crítico:

Yesterday chega nos cinemas em 29 de agosto.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales