Will & Grace | 9×04 – Grandpa Jack

Mais um retorno inesperado em Will & Grace e com consequências de uma evolução bem interessante para Jack, o que muda completamente seu modo de ver o mundo e o reaproxima de uma pessoa de seu passado. O melhor é a discussão em cima de um tema que volta à tona aqui no Brasil.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Todos sabemos que Jack tem um filho, por conta de uma doação de esperma quando tinha 17 anos. Na última temporada temos um despedida complicada com Elliot, seu filho, indo para a faculdade. 11 anos depois eis que Jack quase infarta ao descobrir que é avô!!! Isso aí, Elliot (retorno de Michael Angarano) foi para o Texas, casou e teve um filho…

De começo é engraçado ver Jack em um ambiente tão novo, enquanto Will zomba dele, mas de forma carinhosa até, nada muito exagerado. Seu neto, Skip (Jet Jurgensmeyer) consegue se aproximar dele, mas é sua ida para um acampamento, que na verdade se mostra um acampamento de conversão para gays, coloca todos em uma situação complicada. Emma, mãe de Skip não o aceita.

A ida de Jack para “resgatar” o neto é bem legal, mas o melhor são suas conversas com ele e Elliot. O ponto principal é o respeito, a aceitação, e o apoio em momentos tão complicados. Elliot compreende tudo o que o pai passou, pois sempre o aceitou, e não poderia fazer isso com o filho. Foi bonitinho Jack ser convidado para ir na primeira peça que Skip veria na Broadway.

Agora, foi hilário os ensinamentos de Karen para Grace e como ela precisa voltar a compreender sua sexualidade. Quando seu funcionario Tony a ensina a alcançar notas melhores cantando, ela quase tem um orgasmo com ele apenas tocando seu corpo. Grace passou por muito, e sua separação de Leo foi bem complicada, o que a deixou mais na defensiva.

Por fim, é engraçado ver que mesmo em 2017, 11 anos após sua última temporada, Will & Grace tem que se mostrar tão importante para a comunidade LGBTQ e fazer críticas poderosas em cima do momento atual, mas sem perder a graça de seus personagens. Adorei a participação de Andrew Rannells (The New Normal) e Jane Lynch (Glee) foi apenas ok, abusando das caras e bocas.