WiFi Ralph: Quebrando a Internet | Crítica

WiFi Ralph: Quebrando a internet  é uma incrível jornada dentro do maravilhoso Império Disney.

WiFi Ralph: Quebrando a Internet (Ralph Breaks the Internet, 2018) estreia depois de quase 6 anos após seu primeiro filme e faz uma daquelas animações tipicamente Disney. O novo filme do estúdio conta com personagens carismáticos, uma história com uma mensagem de amizade e um visual super colorido.

Completa todos os itens de uma lista para uma animação do estúdio, certo? Sim, WiFi Ralph é uma verdadeira produção Disney, e também, faz uma boa, deliciosa e cativante sequência onde, dessa vez, vemos Ralph (voz no original de John C. Reilly) e Venellope (voz no original de Sarah Silverman) numa nova aventura, agora, dentro da internet.

E por mais que essa definição seja bem simples, esse é o plot principal do filme e que não deixa de ser parecido com uma outra produção do ano passado, o polêmico Emoji – O Filme (2017). Mas aqui, em Wifi Ralph, a Disney consegue dar um ar mais encantador para essa trama e consegue mascar alguns problemas que o filme tem.

 Ralph Breaks the Internet movie review(2018)
WiFi Ralph: Quebrando a Internet | Foto: Disney Studios

A animação é uma incrível jornada dentro do maravilhoso Império Disney, e quando Venellope chega na área da internet, no local que representa o site Oh My Disney, ela encontra com diversos personagens do estúdio, tanto da Marvel Studios (o Capitão América é visto rapidamente), quanto da Pixar (fiquem de olho no Buzz Lightyear), de Star Wars (corram dos Stormtrooper), e claro, com as famosas princesas da Disney.

E essa montanha russa de easter-egg, claro, é super divertida, mas meio que ao longo do filme, vemos que tudo isso acaba por desviar da história principal que como falamos é simples em sua concepção, mesmo que tudo isso deixe a trama de Wifi Ralph mais robusta e mais encorpada. Não que isso deixe a sequência ruim, pelo ao contrário, a passagem com as princesas é uma das melhores coisas do filme, apenas, destoa muito do que é entregue ao longo do restante do filme que afinal é sobre Ralph e Venellope, certo?

wifi ralph crítica
Wifi Ralph: Quebrando a internet | Foto: Disney Studios

Wifi Ralph, acaba por ser um novo acerto da Disney que junto com Os Incríveis 2 salva o ano do estúdio, até agora, marcado por produções em live-action duvidosas e pouco inspiradas. Tirando todos os floreios, a animação acaba também por acertar ao entregar um ar de novidade e ser uma saída do mundo visto no primeiro filme, lançado em 2012.

A sequência faz Ralph e Venellope embarcarem nesse novo – adorável e intenso – novo mundo, cheio de pop-ups, memes, vídeos virais, e também da Deep Web, onde ainda nos apresenta novos e carismáticos personagens, como a corredora Shank (voz de Gal Gadot, no original) e da guru da internet, Yesss (voz de Taraji P. Henson). E enquanto a dupla vai para o mundo on-line na busca de um objeto (sem spoilers!) para salvar o jogo da garotinha falanta, Ralph acaba por fazer aquilo que sabe melhor, quebrar as coisas, aqui no caso, toda a internet.

Assim, Wifi Ralph é aquilo que a Disney faz de melhor, trabalhar seus personagens de uma forma deliciosamente encantadora, onde o estúdio, também, consegue brincar tanto com seus icônicos personagens e com o lado mais caricato do mundo on-line.

No final, é como se a fada Sininho jogasse seu pó de pirlimpimpim no roteiro filme e melhorasse tudo, onde em Wifi Ralph em vez de pegarmos a segunda estrela à direita e então direto, até amanhecer, entramos junto com Ralph e Venellope numa jornada de amizade e companheirismo através da conexão de banda larga à dois cliques de distância.

Ps: O filme tem duas cenas pós-créditos.

Nota do Crítico:

WiFi Ralph chega aos cinemas em 3 de janeiro de 2019.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales