Westworld | 1×07 – Trompe L’Oeil

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Nada realmente é o que parece e agora temos plena convicção disso em Westworld, e essa sensação não poderia vir em melhor hora. Mesmo com sua lenta narrativa, que chegou a afastar alguns espectadores, a série veio desenhando o que pretendia desde o início e agora chega ao ápice de suas mudanças, e vem em boa hora, já que nos faltam 3 episódios para o fim de sua 1ª temporada.

Trompe-l’oeil é uma técnica artística que, com truques de perspectiva, cria uma ilusão ótica que faz com que formas de duas dimensões aparentem possuir três dimensões

O título do episódio conta bastante bem neste momento de virada, uma vez que um dos personagens mais intrigantes, que achávamos ser um dos técnicos chefes do projeto, na verdade é um anfitrião e vem enganando a todos há um bom tempo. Gostei dessa reviravolta e de como Ford faz o possível para manter tudo sobre seu controle e vendo que é necessário um sacrifício para não perder o controle da empresa, ele expõe Bernard para Theresa, mas com um preço bem alto!

Bernard tem sonhos, vive uma vida que ele acredita ser real, mas amei sua reação ao se descobrir um anfitrião, antes dele ser “pausado” por Ford. A conversa entre Theresa e Ford é cheia de sutilezas, mas ela é uma rival que ele não pode deixar co conselho, nem Charlotte ter mais intimidade e assim temos a morte da humana pelas mãos de Bernard. Esse é um ponto intrigante, e um paralelo bacana com Maeve, uma vez que assistindo fiquei imaginando até onde os anfitriões iriam na “morte” de humanos, já que sempre sabemos da tal 3 leis da robótica, onde uma delas é não ferir humanos…

Westworld

Com Ford tomando o controle e vendo Bernard matar Theresa, logo imaginamos que Maeve, tendo mais controle sobre o seu destino, pode sim matar Felix ou Sylvester. A forma como ela os controla com palavras simples e ameaças sem mudar o tom de voz é sensacional, e os dois acabam entrando em seu jogo. A “aposentadoria” de Clem mexeu bastante com ela, já que é uma das anfitriãs que ela mais tem contato, então há a sua decisão: ir embora dali. Até onde Feliz e Sylvester conseguirão levar essa situação?

As conversas de William e Dolores no trem e toda a condução das tramas dos explosivos é sem sal, mas os diálogos na solidão dos dois é que dá o tom intrigante disso. William busca em Westworld sua força e encontra um novo homem ali, enquanto Dolores vai se reencontrando e buscando uma forma de sair dessa sua linha narrativa, tendo novas atitudes e novos “sonhos”. O lance de desenhar algo diferente a levou a um novo patamar e uma nova missão…

As cenas de ação de Westworld continuam sensacionais, o sadismo e a “crueldade” para com os anfitriões são expostos de forma bem crua, e isso vem desde o seu início, e o estranho é que as vezes não nos incomodamos com os excessos por imaginá-los realmente como robôs e brinquedos, mas no desenrolar da trama vamos nos importando com cada um deles. O ápice disso veio com a crueldade em cima de Clem na forma que Charlotte e Theresa acharam para “humilhar” Ford diante dos conselheiros, e foi ali também que vimos um anfitrião trabalhando como técnico, nos deixando intrigados até onde podem ir suas funções, ainda mais com o que vemos com Bernard…

Fico por aqui, comentem e to be continued

  • Flavio Batista

    Velho e qdo a Maeve diz: “eu ja morri milhares de vezes, sou boa pra c… em morrer. E vc, qtas vezes ja morreu?”
    Maeve rules!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Dan Artimos

      Que atriz <3
      Que personagem <3

      A forma como ela vai domando e controlando Feliz e Sylvester, usando palavras e o conhecimento que foi programada… Ansioso para ver o que ela irá fazer para sair de Westworld