Uma Segunda Chance Para Amar | Crítica

Neste finalzinho de década, numa retomada de comédias românticas, ainda se destaca quem tem uma supresa na manga e tenta fugir do lugar comum que desgastou as produções do gênero nos últimos anos. 

E aqui, Uma Segunda Chance Para Amar (Last Christmas, 2019) faz isso, uma produção deliciosa de natal, com uma história espirituosa, e além de tudo divertida. E tudo isso nos é entregue embalado pelas músicas do cantor George Michael, que mesclam com a trama de uma forma completamente cativante.

Claro, pode se dizer que Uma Segunda Chance para Amar pode soar previsível e clichê, mas essa quase não é a própria definição desses tipos de produções? Nos deixar num estado que as coisas funcionam de uma forma quase mágica, e são empolgantes, por mais surreais que elas possam parecer? Uma Segunda Chance Para Amar faz isso, uma comédia romântica para emocionar.

Emilia Clarke in Last Christmas (2019)
Uma Segunda Chance Para Amar | Crítica | Foto: Universal Pictures

Como uma bela árvore de Natal, Uma Segunda Chance Para Amar coloca diversos pequenos ornamentos ao longo do filme para fazer o longa dar certo e funcionar. E um dos seus maiores destaques fica com Emilia Clarke que sai da sua caixinha de anos presas em uma grandiosoa série de TV e nos entrega uma atuação incrivelmente doce, adorável e carismática. E Clarke parece se aproveitar das sutilezas e do tom mais ácido imprimido no roteiro, escrito pela dupla Emma Thompson e Bryony Kimmings, para roubar a cena. 

Uma Segunda Chance Para Amar talvez seja uma segunda chance para atriz mostrar para que veio e não depender de criaturas que cospem fogo criadas por efeitos visuais. E assim, Clarke se beneficia e muito do humor mais classudo e inglês que Thompson e Kimmings colocam no texto. Imagine só alguma coisa entre Fleabag, da genial Phoebe Waller-Bridge, sem a quebra da quarta parede, e com um tema natalino.

Aqui, temos uma personagem principal que não tem medo de ser imperfeita, ou sexualmente ativa, e que sabe que suas ações começam a minar suas relações. A Kate de Clarke ainda tem até um irmã Martha (
Lydia Leonard) que é completamente o oposto dela.

E aqui, Uma Segunda Chance para Amar coloca a jovem Kate numa jornada de se auto-conhecer, se reconectar com as pessoas em sua vida, e isso tudo se dá quando ela conhece Tom (Henry Golding) na porta da loja de artigos de natal que ela trabalha. O local parece um parque de diversões natalinos, e para Kate é mais que um bico, enquanto pula de audição em audição.

Emilia Clarke and Henry Golding in Last Christmas (2019)
Uma Segunda Chance Para Amar | Crítica | Foto: Universal Pictures

E assim, acompanhamos um daqueles típicos filmes “garoto-conhece garota” sabem? As cenas entre os dois protagonistas até chegam ser em partes cafonas, a decoração excessiva de Natal ajuda, mas tudo é feito de uma forma tão encantadora, tão bem feita, que o espectador deve comprar e embarcar na história. A química entre Clarke e Golding é incrivelmente um dos pontos altos do filme, em Uma Segunda Chance para Amar os dois estão adoráveis juntos, seja andando pela cidade na madrugada, ou até mesmo ao invadirem uma pista de patinação. 

E além de ser um ótimo motivo para ouvir as músicas de George Michael, (destaques para Last Christmas, One More Try, e Faith) Uma Segunda Chance Para Amar ainda tem tempo de nos fazer refletir, junto com Kate e Tom, sobre o que realmente é importante na vida. Uma Segunda Chance Para Amar, mostra assim, aos poucos, essa retomada de Kate em ser um grinch que parece querer roubar o Natal dos outros, nessa alegre e empenhada Elfa. Ela então começa a se preocupar com outros, seja sua chefe “Santa” (Michelle Yeoh ótima), seus pais (Boris Isakovic e Emma Thompson), ou a comunidade de desabrigados que vive ali perto. 

Com cenas finais tocantes, e feitas para não deixar nenhum olho seco, Uma Segunda Chance Para Amar une uma trama que deve fazer o espectador chorar e dar risada na medida que o roteiro tenta caminhar para as diversas reviravoltas que Thompson e Kimmings nos separam. Aqui é como chegar na manhã de Natal com os presentes sem saber o que vem pela frente, o que pode ser uma grata surpresa e que Uma Segunda Chance Para Amar não decepciona.

Nota do Crítico:

Uma Segunda Chance Para Amar chega nos cinemas nacionais em 28 de Novembro.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales