The Walking Dead | 7×07 – Sing Me a Song

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

E mais um episódio em que poderíamos cortar, ou quem sabe mutilar, o roteiro e fazer algo mais enxuto e sem encheção de linguiça. The Walking Dead se enforca cada vez mais na estrutura narrativa que criou, e mesmo com um momento que seria formidável, acaba é nos dando sono.

O encontro explosivo entre Negan e Carl e todos os diálogos sensacionais se perdem no tempo consumido e nos faz ficar ainda mais perdido nas tramas. Negan é o fodão, faz questão de Carl ver isso a todo instante, e as vezes se lembra que ele é apenas um adolescente no meio do caos.

The Walking Dead

Quando ele humilha Carl, pede para ver o seu buraco do globo ocular, tudo é tão intenso, e ele logo volta a si sobre a idade do jovem. Ele comenta sobre o olhar de Rick no garoto, se interessa pela vida em Alexandria e vai até o local para conhecer Judite.

No meio tempo ele ainda mostra que quem pega uma de suas mulheres sofre as consequências, mas não nos emocionamos com isso devido aos longos discursos e as longas cenas que preenchem os mais de 50 minutos do episódio.

A cena do ferro de passar roupa na cara do rapaz nos remete aos quadrinhos, mas e aí? Nos choca, voltam a reforçar a força e o controle de Negan, mas não evolui a trama.

The Walking Dead

Em Alexandria vemos Tara convencendo Eugene a lhe ajudar a criar uma bala, enquanto Spencer mostra que pode ir longe, conseguindo um carro de suprimentos para Negan. Spencer tem os olhos abertos por Padre Gabriel, que finalmente tem uma cena interessante.

Michone decidindo ir atrás de Negan e pegando uma das Salvadores foi legal, mas deixam em aberto para o próximo episódio. Agora, Rick não mostra ainda a que veio, e só demonstra o medo e o respeito forçado.

The Walking Dead precisa mudar urgentemente!

Fico por aqui, comentem e to be continued