The Orville | 1×01 – Old Wounds

No último domingo estreou The Orville, série com uma mistura de comédia, drama e ficção científica com trama que nos remete aos elementos clássicos de Star Trek, incluindo tripulação, viagem para fazer serviços pelas galáxias, alienígenas estranhos e todo o tipo de piada que Seth MacFarlane traz na tentativa de ser ácido, nos remetendo as suas outras obras, também transmitida pela FOX, como American Dad!, Family Guy, The Cleveland Show e os filmes Ted.

A trama deste episódio inicial é simples, onde vemos Ed pegar sua esposa o traindo com um alien e 1 ano após este acontecimento ele é indicado para ser o capitão da USS Orville e já com uma missão: ir até Epsilon 2. Sua missão que seria simples acaba esbarrando com os Krill, que querem roubar um invento que é capaz de acelerar o tempo dentro de uma redoma. E é isso, a trama simples ainda explora bastante da tecnologia para mostrar as viagens, mas os personagens ainda não mostram a que veio e fica apenas com alguns momentos embaraçosos.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Lógico que o episódio abre espaço para conhecermos os outros tripulantes da USS Orville como a Dra. Claire Finn, o tenente Bortus e sua espécie unissex que pode ficar dias sem urinar, Gordon amigo de Ed, o navegador Lamar, a chefe de segurança Alara, ou a inteligência artificial Isaac. Os momentos mais cômicos ficam para Gordon e suas piadas inapropriadas, ou para Ed, que a todo instante acha um espaço para falar da traição de Kelly, que acaba se tornando 1ª oficial de sua nave.

Com 40 minutos a série parece que não precisa de todo esse tempo, pois o desenvolvimento é simplório, mesmo com umas reviravoltas, como Kelly ser quem pediu para Ed ter uma chance a frente da Orville. E o que mais ficamos empolgados em acompanhar são as participações de rostos carimbados de séries de heróis e/ou ficção, como a própria Adrianne Pallicki (Agents of SHIELD), mas ainda temos Victor Garber (Alias, DC’s Legends of Tomorrow), Brian George (The Big Bang Theory), Robert Knepper (Homeland, Twin Peaks), Charlize Theron (Atômica)…

A série foca nos clichês criados por Star Trek, como as cores dos uniformes, as mortes dos camisas vermelhas, as armas com lasers que não acertam e ainda assim causam estragos… A única sorte que a série tem a seu favor é o investimento e a tecnologia atual, mas ainda assim mostra as viagens de forma bem como a Série Clássica.

Espero que os próximos episódios de The Orville consigam ter um desenvolvimento bem melhor, mas a série já tem a seu favor a audiência inicial, que mesmo em dia de jogo conseguiu uma média bem boa. Assim, neste episódio temos o desenvolvimento, vemos o coração da série e os conflitos da parte principal da tripulação, deixando os restantes para um melhor desenvolvimento para os 12 episódios seguintes.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.