Destaques Reviews Séries & TV 

The Morning Show | Primeiras Impressões

The Morning Show veio como o carro chefe do lançamento do Apple TV+, e não por menos, o trio principal do elenco são nomes conhecidos, disputados, e assim, caros em Hollywood. Aqui, temos atores como Reese Witherspoon, Jennifer Aniston, Steve Carell, astros de cinema que vem mirando suas atenções para a TV nos últimos tempos, e numa Era televisiva que as produções para a telinha estão competindo de igual para igual com o cinema, e essa reunião por si só já é de chamar atenção.

Jennifer Aniston and Steve Carell in The Morning Show (2019)
The Morning Show | Primeiras Impressões – Foto: AppleTv+

E assim, The Morning Show tinha tudo para ser um estrondoso sucesso, certo? Mais ou menos. A idéia de mostrar os bastidores de um noticiário não é nova, mas a forma que os roteiristas do seriado encontraram para contar isso acaba por ser focado muito mais nas complexas interações entre seus personagens, nas alianças que precisam ser feitas, e claro nas puxadas de tapete.

Aqui, o seriado se apoia ainda no movimento #MeToo para contar sua história, onde The Morning Show entrega primeiros episódios intensos, num mix de The Newsroom com House Of Cards e que se debruça no mundo da TV americana, e dos noticiários matutinos.

E pelo menos nos primeiros episódios (1×01 – Na noite profunda e escura da alma são sempre as 3h3 da manhã, 1×02- Um Lugar à mesa, e 1×03 – O Caos é a nova droga) acabam por soar um pouco caricato demais e atores que interpretam figuras completamente estereotipadas. The Morning Show, logo nos seus primeiros minutos, nos apresenta o executivo branco, heterossexual de meia-idade, o apresentador mais velho que dá em cima das assistentes, a repórter de uma emissora menor do interior cheia de sonhos e motivações mais nobres sobre o jornalismo.

Claro, a produção de The Morning Show tentou se cercar de nomes talentosos em Hollywood que pipocam nos primeiros minutos da série, mas mesmo assim, o longo primeiro episódio, a série passa uma sensação de ter sido apresada no seu desenvolvimento, no seu texto, na criação dos diálogos, e principalmente nos monólogos que saem da boca de Aniston (num retorno maravilhoso para o mundo das séries!) e Witherspoon que se transforma e deixa sua fase Madeline de Big Little Lies para trás. 

Reese Witherspoon in The Morning Show (2019)
The Morning Show | Primeiras Impressões – Foto: AppleTv+

A idéia de The Morning Show, talvez seja, de mostrar os bastidores da TV americana de uma forma real, brutal e com um toque de ironia, afinal, a própria produção consegue fazer uma crítica feroz para o modelo tradicional da TV, sendo uma produção que é lançada em um novo serviço de streaming, de uma empresa fora do ramo do entretenimento. E isso, para The Morning Show, consegue ser uma faca de dois gume, afinal, ao mesmo tempo que critica também parece não desenvolver o tema na mesma profundidade que ataca.

Assim, a trama se desenvolve quando vemos o apresentador Mitch (Steve Carell, bem) ser afastado do programa matinal que apresentava durante 15 anos ao lado de Alex (Aniston) por conta de acusações de assédio. Quando ele sofre as consequências que o evento traz para sua vida pessoal e profissional, Alex vê na oportunidade um momento único de se afirmar e marcar território com os executivos do canal liderados pelo novo chefão da dvisão de jornalismo Cory (Billy Crudup). Assim, The Morning Show nos apresenta, ao mesmo tempo, paralelamente, a repórter Bradley Jackson (Witherspoon) alcançar fama nas redes sociais por conta de declarações polêmicas feitas durante a cobertura de um protesto.

No longo primeiro episódio (1 hora e 3 minutos) vemos essas histórias acontecerem de forma isolada, onde The Morning Show só ganha fôlego quando coloca seus protagonistas para dividirem em cenas, onde enfim, entendemos o motivo deles estarem juntos nesse projeto, pela habilidade de conseguirem adicionar uma certa camada a mais para esses personagens que são fracamente apresentados pelo roteiro. 

No final, o primeiros episódios são apenas um grande introdução para o que virá pela frente, e talvez, falte um certo apelo para manter o espectador interessado, afinal parece um grande filme de 1h50. The Morning Show lida com a questão de como o público irá confiar na veracidade das notícias, quando as pessoas que as dão não podem ser confiáveis.

Por mais que entregue altos e baixos, The Morning Show acaba por ser instigante na sua proposta, nos deixa querendo ver mais desta história, e parece que irá conduzir seu jogo de xadrez, ao poucos, se segurando nos grandes nomes que circulam o projeto, onde esperamos a luta entre a Dama (Witherspoon), e a Rainha (Aniston), quando elas marcham contra o Rei (Crudup), numa batalha que promete e nos deixou curiosos para ver como irá desenrolar ao longo do restante da temporada. 

The Morning Show tem seus primeiros episódios liberados na AppleTv+.

Postagens relacionadas