The Handmaid’s Tale | 1×03 – Late

Originalmente os três primeiros episódios de The Handmaid’s Tale foram exibidos juntos e esse é, sem dúvidas, o melhor da leva. Expandindo o histórico dos acontecimentos do Golpe da República de Gilead e mostrando como é feita a justiça arbitrária do novo regime. Ainda temos um susto, pois a menstruação de Offred está Late! Praise Be! (Louvado seja!)

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O diálogo inicial é feito por Emily, dividindo o foco narrativo da história pela primeira vez. Eu gostei dessa decisão, pois torna crível continuarmos acompanhando o que se passa com ela. Como a visão é bem fechada nos fatos testemunhados por Offred, sem essa divisão, a série perde essa vertente tão necessária para compreendermos e simpatizarmos com as mazelas da narradora. Sem contar que, enquanto Offred é mais resignada com seu destino, Emily tem uma raiva e anarquia mais pungentes em seu monólogo. Mas vou deixar para elogiar Alexis depois, ou serei redundante.

Ainda chocada pelo fato de Ofglen não ser Emily, Offred é tomada pelas lembranças do exato momento em que os últimos direitos das mulheres foram extirpados pela República Gilead. O primeiro movimento sexista foi o bloqueio de todas as contas bancárias de mulheres, seguidos pela extinção de seus postos de trabalhos. Elas não estavam sendo demitidas, afinal, não possuíam mais direitos, não receberiam nenhum tipo de abono. Elas não eram mais cidadãs perante a lei, pois deveriam se submeter a seus homens responsáveis. Percebem a gravidade da situação?

O segundo foco do episódio está na suspeita de gravidez pelo atraso na menstruação de Offred. Pela primeira vez, Serena Joy lhe trata com respeito e até fiquei com medo pela total mudança de comportamento, mas que é compreensível, afinal, estando grávida, Offred é considerada uma extensão de seu corpo e deve ser tratada com extremo cuidado pela baixa taxa de natalidade.

Eu não entendi muito bem qual era a intenção de Serena Joy com a visita ao bebê Angela, mas serviu para nos informar sobre Janine. Será que ela realmente está perdendo a razão? No episodio anterior eu entendi que ela estava forçando a barra, tentando se convencer que estava em outra realidade, porém, ao dizer que seu Mestre lhe ama e vai fugir com ela, creio que sua sanidade se esvaiu. Contar para Serena Joy sobre os momentos de falta de clareza de Janine foi uma péssima decisão, pois tenho certeza que ela tenha ficado para traz para reportar tal informação. Imagino que o recente tratamento que recebeu tenha feito Offred baixar a guarda, o que pode ter resultado em algo desastroso tanto para a amiga quanto para ela mesma.

Nick me perturba. Ainda não estou convencido que ele não seja um Olho fazendo jogo duplo. Sua conversa furada de que tentou despistar os interrogadores não me convenceu em nada, muito menos seus momentos de sedução barata. E esse interrogatório é uma coisa tão absurda que fica difícil acreditar no que aconteceu. Se Emily era casada antes do golpe, como eles não saberiam que ela era gay? O golpe foi tão abrupto que não restou nenhum documento? A perplexidade de Offred com os questionamentos por algo que ela julga natural me confortou momentaneamente, apenas para sermos eletrocutados pela intolerância. Mas a melhor parte foi a resposta à menção bíblica da Tia Lydia, que até merece parágrafo separado.

Tia Lydia
Mateus 5:5 Bem-aventurados os mansos, pois eles herdarão a Terra.
Offred
Mateus 5:10 Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus.

Não há nada mais hipócrita do que escolher quais frases mais lhe convêm ao querer basear suas crenças em preceitos bíblicos e sumariamente ignorar os que se opõem. Ao utilizar apenas parte do Sermão da Montanha, a República de Gilead quer que todos sejam mansos com relação a seus mandos e desmandos com a promessa de que serão recompensados com uma nova Terra, limpa e livre de impurezas e pecados. Porém, perseguem e executam sumariamente os opositores de seus ideais fascistas, de modo a coibir, através do medo, o crescimento de qualquer nova célula revolucionária. Mas é a própria Palavra, que tanto utilizam para suprimir, que serve para alimentar a luta ao prometer o “Reino dos céus”. É claro que não são palavras que interessam aos ouvidos de Tia Lydia, que desce o aguilhão elétrico na cara de Offred. Se não fosse a chegada de Serena Joy no momento exato para salvar seu “útero” grávido, é bem provável que ela fosse morta.

Caso seja difícil entender o motivo que levou Offred a responder Tia Lydia, basta vermos o que aconteceu durante a última manifestação após o Golpe. A situação em que se encontra é resultado da apatia de toda uma população, que não fez nada quando teve seus direitos tirados aos poucos até a total perda de liberdade, resultando em uma grande e deliberada chacina. São cenas de barbárie absoluta, onde não há espaço para diálogo, apenas submissão ou eliminação. Offred não pode permitir que reescrevam sua história por completo. Se Tia Lydia quer que ela se lembra, então ela se lembrará que ela é uma guerreira e que buscará por seus direitos e sua liberdade.

Se devido as pancadas ou se realmente não houve  fecundação, o fato é que não foi esse mês que Offred se viu livre das Cerimônias. E a mudança de reação de Serena Joy foi tão abrupta que eu imaginei que ela terminaria o serviço que Tia Lydia começou. Talvez por ter se sentido enganada, talvez por ser demonstrado equiparidade com uma inferior, talvez por puro e simples ódio, o que importa é que a simples visão de Offred desperta os piores sentimentos em Serena Joy. Eu gostaria de saber mais sobre o passado dela. Fazem tanta questão de falar os dois nomes que me faz pensar se ele também não é um nome dado pela República. Veremos.

Deixei para falar sobre Emily no final por achar que foi a melhor parte do episodio. Primeiro: Alexis Bledel destruiu aqui, tanto no monólogo fora de tela quanto nas cenas em que não disse nada. Ela não é uma super atriz, eu sei disso, mas estou convencido de que Emily será seu melhor trabalho. (Se essa atuação era realmente merecedora de um Emmy já é outra história). Emily tinha um caso com a Martha de sua casa, que foi descoberto. O julgamento de Traição de Gênero – em que ambas estavam amordaçadas e nem lhes foi permitida defesa – remete aos tempos do nazismo. Mas é nas sentenças que vemos até onde vai o absurdo da espécie humana. Enquanto a Martha recebe a Misericórdia do Estado (em uma cena em plano-sequência magnífica para ambas as atrizes), Emily recebe a Redenção.

O quarto extremamente branco (em uma paleta que não vi desde o início da série) é uma extensão da lividez de Emily ao perceber sua nova condição física. Minha impressão é de que, mesmo com total conhecimento sobre a terrível situação em que estava, Emily sempre pensou que bastava esperar e a saída aconteceria, que ela nunca seria pega ou que nunca sofreria punições por ir contra a República. Agora que ela tem consequências irreversíveis em seu corpo, a realidade parece ter caído como uma bomba. O que acontecerá com Emily após receber a Redenção? Será que retornará ao antigo posto? Será que a raiva apenas a tornará em uma rebelde ainda mais ativa contra da República? Estou ansioso!

Precisamos falar sobre essa trilha sonora! Mas que coisa maravilhosa! Estão se superando a cada episódio! O quê foi esse remix de Heart Of Glass? Ele é tão bom que eu preciso contar a história dele. Foi feito por um fã, mas chamou a atenção da Debbie Harry, que repostou no site oficial da banda. Fez tanto sucesso que foi considerado remix oficial e foi até usado em comercial de perfume! Mas não é só essa música não, o encerramento com Waiting for Something foi a melhor forma de nos dizer que aquela situação era a faísca que faltava para despertar a revolucionaria que havia dentro da Emily! (PS: Essa música é muito #Literati!) Que incrível!

O EVANGELHO DE GILEAD:

  • Redenção é o ato de cirurgicamente mutilar a genitália feminina, cortando o clitóris e praticamente destruindo qualquer possibilidade física de tornar o ato sexual em uma prática prazerosa para a mulher. Ela ainda sentirá desejo, mas não será capaz de supri-lo.
  • Os homossexuais foram redefinidos como Traidores de Gênero pois, além de pecadores, são considerados uma ameaça à República por não procriarem. A pena para tal crime é a Misericórdia do Estado = Morte por Enforcamento. Emily não recebeu a Misericórdia por ter dois ovários funcionando.

O EVANGELHO PERDIDO DE GILEAD: (diferenças entre a série e o livro)

  • A Redenção não existe no livro.
  • No livro, a Misericórdia do Estado é chamada de Salvaging, que pode ser traduzido como “Receber Salvação”. Na versão original, são as Handmaids reunidas quem puxam a corda para executar o enforcamento.

The Handmaid’s Tale é exibida no Brasil pelo Paramount Channel aos domingos às 21:00, com reprise às segundas às 23:30 e aos sábados às 22:00 e 23:00. Praise be!

Texto originalmente publicado no Apaixonados por Séries.

Paulo Halliwell

Professor de idiomas com mais referências de Gilmore Girls na cabeça do que responsabilidade financeira. Fissurado em comics (Marvel e Image), Pokémon, Spice Girls e qualquer mangá das Clamp. Em busca da pessoa certa para fazer uma xícara de café pela manhã.