The Good Place | Crítica da 3ª temporada!

Olá, meu nome é Michael! E esse é o lugar comum.

Sim, exatamente, depois de um boom de frescor para as comédias e um sopro de novidade que foi marcado nas primeiras temporadas, The Good Place, parece que estagnou, não está, nem no bom lugar, mas, também, não está no lugar ruim.

A série, nesse terceiro ano, tinha tudo para mudar e ousar, afinal, nossos humanos preferidos e o demônio Michael, partiriam para Terra, tentar mudar suas vidas, e enfim, chegar no Bom Lugar.

Kristen Bell, William Jackson Harper, and Jameela Jamil in The Good Place (2016)
The Good Place – Terceira Temporada | Foto: NBC/ Netflix

Mas a temporada, foi marcada por altos e baixos gigantes, com episódios onde, a história não saia do lugar nunca, e quando tínhamos algum avanço, e dávamos dois passos, para logo depois voltarmos e darmos outros quatro para trás. Claro, The Good Place, continuou a entregar episódios divertidos, engraçados e deliciosos, mas, não mais, no mesmo ritmo e frequência do que antes. Os roteiristas, aqui, ficaram presos na mesma fórmula, aquela de apagar a memória dos personagens e recriar as mesmas situações vistas, já há três temporadas, marcadas por planos mirabolantes, “Bem-Vindo ao Bom Lugar”, apresentação do Bairro, festa na Mansão de Tahani e etc.

O novo ano, soube, ao menos, explorar melhor as dinâmicas entre os personagens, e vimos um destaque maior para a Janet (D’Arcy Carden, fantástica) e para Michael (Ted Danson, finalmente reconhecido nas premiações!) que interagiram muito bem na primeira parte da temporada, ao monitorar os pontos dos humanos na Terra, marcada pelos bons episódios 3×01 – Everything Is Bonzer! e 3×04 – Jeremy Bearimy. Assim, vimos avanços, também, nos relacionamentos entre Eleanor (Kristen Bell, sempre boa) e Chidi (William Jackson Harper), e claro, o vai e vez de Tahani (Jameela Jamil) e Jason (Manny Jacinto).

The Good Place – Terceira Temporada | Foto: NBC/ Netflix

Mas, nesse terceiro ano, parece, também, que toda a aventura dos personagens pela Terra foi um tiro no pé da série, onde The Good Place, também fez episódios arrastados e que circulavam sempre na mesma trama, como os episódios, 3×07 – The Worst Possible Use of Free Wil e 3×08 – Don’t Let the Good Life Pass You By. Para então, nos entregar no último episódio de 2018, o espectacular e hilário 3×09 – Janet (s), onde vemos Eleanor, Chidi, Tahani e Jason, presos no cofre de Janet e assumirem, cada um, uma versão da assistente, não robô, não mulher, num capítulo cheio de momentos divertidos e marcantes.

Na reta final, claro, The Good Place, até engrena, com episódios que tentam mudar um pouco o status quo do que vimos no começo da temporada, na medida que Michael, acha uma razão pelo qual, os humanos (e quase ninguém!) tem entrado no Bom Lugar há anos. E é isso que gostamos em The Good Place, pequenos devaneios sobre questões aparentemente sérias, mas que a série coloca de uma forma simples, divertida e sem complicação.

E claro, das participações especiais, que esse ano foram marcadas pela volta de Maya Rudolph, como a Juíza, Mike O’Malley como um porteiro celestial, Adam Scott, o demônio encarnado e também das participações de Nicole Byer (como uma carteira no Bom Lugar) e Kirby Howell-Baptiste (como uma namorada de Chidi).

Assim, o combo formado pelo ótimo, 3×10 – The Book of Dougs, onde vemos, um deslumbre do Bom Lugar pela primeira vez, e nosso casal principal Eleanor e Chidi, avançarem no seu relacionamento e o espiritoso 3×11 – Chidi Sees the Time Knife, onde vemos a Juíza (a ótima Maya Rudolph) decidir como será a nova empreitada do grupo para provar a teoria de Michael sobre os pontos que permitem a entrada no Bom Lugar, nos deixaram com esperança para o futuro da série e o que viria por aí.

Mas, o final de temporada, 3×12 – Pandemonium, parece que Michael é própria personificação dos roteiristas, ao ter um ataque de pânico e achar que não consegue comandar o novo bairro. Assim, o último capítulo, tem um roteiro batido, com cara de episódio de meio de temporada, sem um senso de urgência, e quase sem nenhum gancho que nos deixe empolgado para o próximo ano. Nem a expectativa de saber quem são os próximos moradores do novo bairro criado e comandado pelo grupo para testar os planos de Michael, parecem nos fazer querer voltar com a série.

Kristen Bell and Brandon Scott Jones in The Good Place (2016)
The Good Place – Terceira Temporada | Foto: NBC/ Netflix

Voltaremos, claro, mas não com a mesma empolgação que Jason, teria ao ver um balão de Pikachu, ou Tahani, ao receber um convite VIP para uma festa exclusiva, um Chidi ao encontrar um livro de filosofia, ou até mesmo Eleanor, em poder se dar bem as custas de alguém. Assim, para a quarta temporada de The Good Place, esperamos coragem dos roteiristas de mudar e sacudir um pouco as coisas na série. Janet! Oi, precisamos de ajuda, por favor!

The Good Place já foi renovada para um novo ano que deve chegar entre Setembro ou Outubro.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales