The Good Place | Crítica da 2ª Temporada

What a fork, dudes! Estamos de volta com a nossa crítica da segunda temporada dessa série deliciosa que é The Good Place. Nossas sextas-feiras ficaram mais alegres com Eleanor, Michael, Chidi, Tahani, Jason e claro, Janet, mas tudo que é bom acaba logo e agora só na próxima Fall Season com novos episódios dessa comédia disponível na Netflix.

E depois dos acontecimentos do final da primeira temporada, WTF? vemos nesse segundo ano como nosso quarteto de amigos vão se livrar dos problemas enfrentados no final do primeiro ano e como a trama vai desenvolver.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Foto: Netflix/ NBC

Talvez o final de temporada do primeiro ano de The Good Place tenha entrado na lista de momentos mais chocantes 2017. Quem não se empolgou e quis rever a primeira temporada inteira de novo quando a Eleanor gritou “Esse é o Lugar Ruim!” e revelou que até então os personagens que amamos estavam vivendo em uma tipo de realidade alternativa onde o Bom Lugar criado por Michael na verdade era um lugar feito para torturá-los? Uma das melhores viradas de roteiros dos últimos anos.

E para o o segundo ano tudo era território novo, afinal Michael limpou a memória dos quatro e re-criou o Bom Lugar-Falso e recomeçou a torturar as pessoas, mesmo com Eleanor deixando uma pista com a Janet. E claro o retorno da série não poderia ser melhor, mais engraçado e cheio de referencias e detalhes do episódio piloto (1×01 – Everythings is Fine!).

Em Everything Is Great! (2×01 e 2×02) vemos que Michael mudou algumas coisas para a tortura de nossos personagens queridos e os dois primeiros episódios são ótimos em recriar o piloto mas acerta nos pequenos detalhes, desde da mudança no título, passando sobre quem fica bêbado na festa e sonha com os camarões voadores, até os problemas de relacionamentos dos humanos presos nesse novo Bom-Ruim-Lugar. A dupla de episódios de estreia acerta e muito em dar respostas para os acontecimentos do final de temporada mesmo que ao final deles voltamos a estaca zero.

Para esse segundo ano, o grande acerto dos roteiristas de The Good Place é de vermos mais de cada um dos personagens principais trabalhando em suas incertezas e inseguranças. Começando Eleanor, a sempre fenomenal Kristen Bell, com seus problemas de confiança no próximo, Chidi (William Jackson Harper) com sua eterna indecisão, Tahani (Jameela Jamil) em seu medo do julgamento de outras pessoas e Jason que continua sendo o atrapalhado Jason (Manny Jacinto) de sempre que fica feliz com uma bexiga de Pikachu.

O único problema que parece que a série no seu início se agarrou no lugar comum em sempre rebotar a trama e contar a mesma história de forma diferente. Isso foi legal por dois ou três episódios mas deixou a primeira leva de episódios ficar um pouco repetitiva, afinal Michael limpou a memória deles mais de 800 vezes e parecia que a trama não avançava de jeito nenhum.

Foto: Netflix/NBC

Claro isso acabou dando oportunidade para alguns dos personagens coadjuvantes terem mais destaques como a excelente e “roubadora” de cenas, a assistente virtual, not a person, Janet (a maravilhosa e grande surpresa D’Arcy Carden). O grande plot twist para a personagem é que depois de tanto sofrer atualizações ela começou a ganhar uma independência, pensamentos próprios e isso deu a oportunidade da atriz que a interpreta ter cada vez mais destaque e mais cenas. E claro para a gente começar a entender mais sobre seu funcionamento.

Michael, o sempre ótimo Ted Danson, também acaba tendo muito mais destaque nesse novo ano e tem suas chances de entrar para o grupo com a sua ótima trama que começa em 2×04 – Team Cockroach em que ele é chantageado pela demônio Vicky (Tiya Sircar) e que avança por mais uns três episódios na temporada. No final a trama do personagem acabou sendo uma jogada interessante mesmo sendo lá no fundo mais um repeteco da trama que vimos com Eleanor lá na primeira temporada.

The Good Place usa seus artifícios de ser fofa e adorável para mascarar alguns tropeços e nesse segundo ano acaba repetindo um pouco sua trama com uma história que fica correndo em volta de si mesma. Os roteiristas quando finalmente acabam por se livrar da bagagem da primeira temporada e resolvem avançar com a trama nos entregam ótimos episódios.

Em 2×06 – The Trolley Problem,  2×07 – Janet and Michael e 2×09 – Leap to Faith a série abraça tua mitologia e faz episódios cheio de nuances, com tramas interessantes e claro focados nas essencias de seus personagens e que acabam por fazer ja na reta final com 2×11 – Rhonda, Diana, Jake, and Trent um dos melhores episódios da temporada.

Foto: Netflix/NBC

Tudo isso se encaminha para o final do segundo que garantiu uma dupla de bons episódios finais com 2×12 – The Burrito e o o último episódio 2×13 – Somewhere Else. Assim, mesmo que alguns deslizes, a segunda temporada de The Good Place acerta ao mostrar uma jornada de amadurecimento tanto para seus personagens quanto para sua trama. O fato de claro somente Eleanor ter passado no teste da juíza (a hilária Maya Rodolph) mostrou que a série ainda tem fôlego para surpreender e ainda muitos coelhos na cartola.

E claro que isso o final de temporada garante, uma reviravolta para abrir novos caminhos para a série. A decisão dos roteiristas em não levar os personagens nem para o Bom Lugar e nem de volta para o Lugar Ruim é acertada, afinal como falamos a série não poderia ficar mais dando voltas nessa trama. E eles tinham duas opções e pelo visto a equipe  decidiu pela mais interessante: vamos reviver todos eles!

Então vemos 1 ano na vida de Eleanor na Terra onde ela acaba por tentar se tornar uma pessoa melhor e Michael ainda tentando se safar em dar uma ajudinha para a personagem continuar no seu caminho de bondade. O finale é engraçado, surreal e claro depende muito do talento de Bell para dar certo. Mesmo não tendo o mesmo impacto da primeira temporada, o episódio acaba sendo um típico episódio do seriado, onde tudo acontece e termina deixando todas as possibilidades em aberto que tudo possa acontecer no próximo capítulo (que no caso agora é um novo ano).

Com o plot twist garantido e uma terceira temporada a caminho, The Good Place se firma com uma das melhores comédias no ar. Ok, ai vamos nós, estou curioso para saber o que virá em seguida e vocês?

Comentem aqui ou lá no Twitter, @Arrobanerd o que vocês acharam dessa temporada.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales