The Good Fight | 2×07 – Day 450

E com a busca por advocacias dispostas a batalharem pelo Impeachment de Trump, The Good Fight traz um episódio excelente, mantendo muito bem o nível dessa ótima temporada. Ri demais com as ações de Ruth, que retorna disposta a batalhar por sua meta e coloca fogo na Boseman, Reddick & Lockhart.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Logo de início temos a cena misteriosa da sala de reuniões da advocacia sendo totalmente selada e todos os funcionários curiosos, adorei ver a entrada de Ruth (Margo Martindale, Justified) e a forma como ela e sua assistente acabam apresentando o caso a Adrian, Julius, Liz e Diane. As reações são ótimas e a forma deles debaterem as opções que poderiam levar Trump a um Impeachment acaba parecendo tentativa e erro.

Aos poucos eles vão compreendendo o desejo de Ruth e montando estratégias mais interessantes e colocando Liz e Adrian em destaque, só que até Julius acaba sendo descartado, principalmente se lembrarmos na temporada passada que ele assumiu ter votado em Trump. No fim Ruth acaba falando que Liz foi a escolhida e se juntará a outros 5 advogados que trabalharão no caso. Gosto da força de Ruth e como ela gosta de manipular as pessoas, senti falta dela, que fez uma ótima participação em The Good Wife sendo assessora de Peter e batendo de frente com Eli e Alicia.

Marisa continua excelente e sua jornada ao lado de Maya traz uma amizade bem gostosa de se acompanhar. As duas na balada é incrível, mas fiquei com um pé atrás quanto ao namorado dela. Maya também tem outro par interessante, o que deve colocar Amy um pouco de escanteio, mesmo que Carine tenha ido embora com Ruth.

Ah! Adorei a história do baralho com os advogados e seus posicionamentos e a forma como isso pode afetar a história, já que alguns dos que foram mortos já estavam no baralho, e nele ainda temos Adrian, Diane e Liz…

Lucca ficando maluca com Francesca e Colin foi hilário, mas esperava reações mais exageradas. Tudo foi bem contido e deve render ótimas tramas para os personagens. A ideia de Colin entrar na eleição é interessante por dar mais panorama para ele e a forma como sua mãe se envolve também cria ótimos conflitos.

The Good Fight cria uma trama política bem interessante e a soma aos dramas dos advogados sendo assassinados, enquanto deixa um pouco de lado a história de Henry Rindell, dando fôlego para Maya criar suas próprias histórias. Lucca continua sendo uma personagem incrível e sua gravidez deve ser bem trabalhada, ainda mais agora com Collin candidato e a mãe dele superprotetora no seu pé.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.