The Good Doctor | 2×04 – Tough Titmouse

Glassman sem sono conseguiu ficar ainda mais próximo de Maddie, ou melhor, fez uma jornada de autoaceitação, onde ele pode conversar com a filha falecida e se perdoar. The Good Doctor soube mostrar isso de forma interessante, e ainda nos deixa preocupado com a cirurgia do médico.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Gostei dessa jornada pelo passado de Glassman, do amor pela filha, de como ele buscou agir de forma a tentar colocar algo na cabeça dela e ela acabou se matando. Maddie teve problemas, mas sempre foi muito amada, só que a forma dos corretivos é que não foram efetivos e apenas piorou sua situação. Glassman se cobrou, tentou entender e no final apenas sabia que amava e era amado, mesmo com todos os problemas. Foi bom entender isso e fica a dúvida de como isso acaba refletindo na amizade dele com Shaun.

Falando em Shaun, ele precisou compreender como magoou Lea, que só queria um amigo para lhe estender o braço e conversar sobre o que não encontrou em Hershey. Ela tinha um sonho em sua cidade e não deu certo, e ao tentar voltar e ter o carinho de Shaun, apenas encontrou reprovação e julgamento, e ele entrou nessa jornada de tentar se entender e compreender como funciona uma amizade. Achei engraçado a cara de Lea ao ver Shaun tão feliz no karaokê, pois a coloca em posição de ver os excessos dele.

Shaun, Melendez e Park trataram uma mãe que não sabia mais como lidar com o filho autista e precisava aceitar que tinha de colocá-lo em uma instituição para ajudá-lo, não só para o bem dela, mas principalmente para o bem do garoto. Shaun se viu no passado, quando precisou entrar na vida de Bill e ter que sair logo depois, pois era muito para ela, que estava doente. Ela mesmo pedindo para ele ir para outro lar, tinha se apegado a ele e chorou, e eu achando que ela estava de saco cheio de tudo aquilo.

Foi legal também ver que Melendez cuida da irmã, Gabi, o que nos mostra o motivo dele ser mais atencioso com Shaun, mesmo que precise lhe puxar a orelha.

Já Browne, Morgan e Lim precisam lidar com uma paciente que praticamente tem um vício em adrenalina e quase se matou ao escalar sem acessórios. O problema é que ela tem duas opções de cirurgia, onde uma a impedirá de voltar a escalar, e outra poderá liberá-la para isso e ela pode vir a morrer se continuar exagerando. Seus pais decidem pela primeira, enquanto ela quer arriscar.

Foi bem intenso a realidade dela ser escolhida por uma conselheira, já que ela acabou de fazer 18 anos, mas com a decisão da primeira cirurgia, ela deixa claro que após isso nunca mais irá querer ver os pais. Browne achou que ajudaria na escolha, mas ela apenas piorou a situação. O episódio termina com ela fazendo a cirurgia, mas completamente desgostosa da vida.

The Good Doctor traz boas questões e desenvolve bem suas tramas durante o episódio, além de trabalhar questões morais dos médicos e enfermeiros. Começando a gostar mais desse novo ano e de como cada um tem tido o seu destaque.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.