The Flash | 4×16 – Run Iris, Run

Confesso que esperava algo completamente diferente em cima da trama de Iris como Flash… Foi temporário, foi bem justificado, o poder do meta-humano foi algo bacana e assim The Flash me manteve animado com sua trama e não caiu para algo mais bobo. Quero ver agora como Harry irá lidar com sua nova mente.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O grande vilão do episódio seria Kim, mas logo ele se converteu em um aliado importante, uma vez que seu dom nas mãos de DeVoe será um grande problema, já que ele tira o poder de um meta-humano e pode transferí-lo para outra pessoa. É isso que acontece sem querer com Barry e Iris…

Ver Iris se jogando mais na rua, depois de ouvir que ela não se colocava em risco por Ralph, sua versão púrpura do Flash é até justificável, já que é temporária, mas lembramos que a cor dos raios diz muito sobre a “saúde” da Força da Aceleração da pessoa, e o púrpura pode ser algo temporário, lembrando que o vermelho era quase um colapso e já tivemos uma velocista púrpura que morreu. Mas isso não vem ao caso.

A trama só serviu para Barry e Iris se verem com um olhar diferente e foi interessante acompanhar isso. Ele não sentindo tanta falta da velocidade, mas temendo pela amada e ela com medo de desapontar a todos. Tudo muito interessante e eles consegue fazer Kim devolver as coisas a como deveria ser.

Ralph com medo de ser pego por DeVoe é justificável, ainda mais que com o poder de Ralph ele poderia voltar a ser ele mesmo, já que poderia assumir qualquer forma graças a seu corpo de borracha.

Enquanto isso, Harry conseguiu replicar o capacitador cerebral da Mecânica que com ele DeVoe conseguiu ampliar seus pensamentos. Agora é ver como ele e Cisco irão lidar com esse novo “dom” e como irão atrás dos dois nomes que Harry já desvendou para eles, algo que até DeVoe parecia não saber ao certo como seria.

The Flash conseguiu fazer uma trama ligada a central da temporada, mas trazendo uma leveza e mais questões particulares aos seus personagens, sem precisar sacrificar o tempo em cena para resolver quebra-cabeças de DeVoe. Gostei demais dessa saída.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.