The Flash | 4×12 – Honey, I Shrunk Team Flash

Querida, encolhi o time Flash!” e essa foi a vibe do episódio da semana de The Flash, com muitas piadinhas e até Cecile como uma metahumana “temporária”. Uma coisa é certa, pedimos que a série ficasse mais leve, mas isso não é sinônimo de mais boba…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Todos os momentos indo atrás de Rundine e como Cisco e Ralph se tornaram diminuto, para no fim uma pegadinha de Harry enganar Rundine e fazê-los voltar ao normal, foi arrastado. Tinha toda a vibe de uma história em quadrinho bem divertida, e eles sabem colocar Ralph nesses momentos sem soar pastelão demais, pois é do persnagem e o ator Hartley Sawyer é excelente nas caras e bocas.

A questão é que entramos mais na história de Senhor Big, ou melhor, Ratchet, e descobrimos que ele foi preso ao tentar salvar um policial e ser confundido com o grandão que o matou na verdade. Assim temos a história de Ratchet cruzando com Rundine/Dwarfstar. Vendo que o time não consegue fazê-lo confessar o crime, Barry decide levar Ratchet para Jiaju, na China, e deixá-lo buscar sua própria felicidade.

O grande problema é que Wolfe descobre que ele é o Flash e o prende em uma cela contra metahumanos, além de decidir vendê-lo para Amunet… Vai ser legal ver essa caçada por Barry e sua venda para Amunet, principalmente com ele estando sozinho, e quero ver como o time Flash entrará nessa.

Agora vamos a Cecile, que descobriu poder ler a mente das pessoas… Bizarro, mas de acordo com Caitlin, isso pode ser devido aos hormônios de sua gravidez, que fizeram com que as partículas da explosão finalmente começassem a fazer efeito em seu corpo, lhe dando o dom que atrapalha bastante, no início, seu relacionamento com Joe, mas eles encontram uma saída.

The Flash está divertida, mas está exagerada, espero que encontrem um meio-termo.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.