The Flash | 4×01 – The Flash Reborn

Eu sou Iris West…” e assim começa a 4ª temporada de The Flash, com a personagem que mais critiquei quando a série estreou, mas que no desenvolver desses anos foi se tornando a mais bem construída dentro dessa equipe e que nos faz torcer a cada instante por ela. Iris manteve o grupo unido no sumiço de Barry e ainda teve que lidar com as próprias dores, para mim só faltou terem prolongado um pouco a trama de Barry sumido ou esquecido por mais um tempo e lhe dar mais espaço ainda.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A série não tem muito o que ficar inventando e mesmo sem Barry ela conseguiu nos deixar entretido com Wally e Cisco protegendo a cidade no período de 6 meses que eles ficaram sem o Flash, e eles discutindo o nome do time foi bem legal. Iris serviu bem como a “oráculo” deles, mas deixou a todos preocupados com seus excessos em cima disso.

Quando o Samurai androide aparece com força suficiente para destruir Central City e pedindo que o verdadeiro The Flash venha para enfrentá-lo, Cisco vê ali a oportunidade para entrar na Força da Aceleração e buscar o amigo, mesmo que Iris não queira acreditar em tal possibilidade. É até sensato de sua parte não criar esperança para sofrer novamente.

Os amigos então age por suas costas, se unindo com Caitlin, que consegue fazer as pazes com Joe, depois do que Nevasca fez com Cecile. A volta de Barry não é bem como esperavam, pois ele está com a mente longe, cheia de crises e uma codificação bizarra que deve fazer sentido mais a frente, afinal não deve ter sido jogado aqui a toa.

Iris em perigo foi o estopim para que Barry voltasse a si e tivesse o seu “renascimento” e foi bom ver isso partindo dela. Iris compreendeu que não adiantava ficar batendo de frente com os amigos e ao lembrar de conversas com seu amado compreendeu que ela poderia ser a única chave para o seu retorno.

No fim das contas Barry retorna, eles destroem o Samuroid (nome dado por Cisco) e as coisas devem começar a ficar mais leve, pois até o sorriso de Barry neste retorno está mais calmo. Torcendo para que a série reencontre o seu caminho de forma mais tranquila, focando em boas histórias e o desenvolvimento de seus personagens.

A série ainda comentou que Julian voltou para o Reino Unido, mas foi vermos Caitlin dominando Nevasca que me deixou aliviado, mesmo que ela ainda cisme em aparecer nos momentos de maior tensão da personagem. Nevasca e Caitlin ainda estão enroladas com Amunet (ou Forja no Brasil), que deve trazer problemas para a personagem.

The Flash pecou só em agilizar suas tramas e fechar todas as pontas soltas já neste retorno, mas acertou em cheio em dar destaque a Candice Patton, que segurou as pontas e mostrou uma Iris mais madura e cheia de força. Outro ponto alto foi a fotografia, algo que até mesmo o retorno de Supergirl nos presenteou com umas cenas de estética sem igual, como o encontro de Kara, Mon-El e Alura, e aqui com Barry e Iris.