O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story | 2×03 – A Random Killing

E chegando já no seu terceiro episódio O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story se dá o luxo de fazer um capítulo completamente a parte da sua trama principal servindo apenas para desenvolvimento de personagem. Numa aposta ousada ACS: Versace usa seus 40 minutos para contar como se fosse um spin-off detalhes de outro assassinato cometido por Andrew Cunanan, o ótimo Darren Criss.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Foto: FX

E aqui temos um episódio que acaba se passando no passado, no final da década de 90, onde vemos um Andrew Cunanan em fuga e já tendo cometido alguns crimes. ACS: Versace continua seu ritmo tenso e incomodo de narrativa mas aqui no 2×03 resolve focar no assassinato de Lee Miglin (Mike Farrell), um arquiteto de Chicago casado com uma vendedora de cosméticos famosa da televisão, chamada Merylin (Judith Light), e que claro vira presa fácil para o rapaz.

Aqui os roteiristas continuam a mostrar o modus operandi de Cunanan, que tinha em um de seus trabalhos ser acompanhante masculino e fazia de seus clientes, suas vítimas, sempre seguindo a mesma lógica: homens poderosos, ricos e dentro do armário. ACS além de trabalhar bem as características de uma psicopata parece também trabalhar e expor como a comunidade LGBT vivia em opressão pela sociedade naquela época. Lee e Merylin formaram um império e frequentavam a alta sociedade de Chicago, andando com políticos e outros membros influentes da cidade mas viviam uma relação menos empolgante dentro de casa e ACS Versace continua com sua ótima caracterização tanto de época, quanto de figurinos e etc.

Mesmo sem Penelope Cruz e Edgar Ramirez na área, o ator Darren Criss consegue segurar as pontas e mostrar que é uma verdade estrela em ascensão em Hollywood, Cunham continua com aquele olhar envolvente, ameaçador e psicótico e não perde tempo em conseguir aquilo o que quer. Judith Light rouba as atenções para ela ao trabalhar bem as nuances de sua personagem que claramente sabia da situação do marido. Todo o trabalho de concepção de personagem foi acertado, rápido e preciso e as camadas envolvidas foram muito bem desenvolvidas.

Aqui ACS: Versace ainda começa a completar o quebra cabeça do assassinato título da série onde vemos Cunham cada vez mais escapando das autoridades e já dando indícios que o serial killer planejava focar suas atenções para o estilista Versace. A Random Killing poderia ser episódio avulso mas acerta em um roteiro cheio de mensagens em mostrar um pouco como a mente de Andrew funcionava e claro seu complexo de grandeza “Eu não sou igual a outros acompanhantes. Eu não sou igual a qualquer um” afirma o personagem antes de matar mais uma de suas vítimas. Que venha o próximo.

O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story vai ao ar às quintas no Canal FX.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales