Supergirl | 4×14 – Stand and Deliver

Supergirl segue com seu drama envolvendo grupos de ódio de ambos os lados, humanos e aliens, enquanto a nossa heroína precisa lidar com a pressão de estar no “meio termo” do problema, já que é uma heroína, como um dos humanos dizem.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Kara e seus Superamigos precisam lidar com a Elite, os Filhos da Liberdade e a voz dada a Ben, e tudo isso ainda tendo que suprir os próprios sentimentos por ter Alex sem saber sobre sua vida dupla. Kara está carregada, mas este nem passa ser seu drama, que agora é evitar o pior para os aliens.

Ben quer revogar a anistia dada a todos os aliens, o que pode causar sérios problemas a eles, e em seu momento de anúncio, acaba ficando frente-a-frente com uma manifestação de aliens e simpatizantes. Com uma guerra podendo ser causada por Manchester e Hat, Supergirl volta a ser símbolo de esperança, principalmente com Ben temendo o pior para si.

O legal é que nessa briga James tira a foto que estampa a liberdade e esperança, mas ao se colocar assim de frente, se torna alvo, levando um tiro nas costas.

J’onn começa a ver um lado mais sombrio seu sendo liberado ao lidar com Manchester, pois ele o força a ir até o seu pior. Espero que olhem mais isso, e tragam o Caçador de volta, assim como colocam o lado investigativo.

Ri com Sonhadora sendo chamada de parceira da Supergirl, pois ela começa a ganhar destaque. Ao pegarem Hat, esperava que Brainy pegasse seu anel de volta, mas devem demorar a dar a ele.

Alex tendo que lidar com Ben foi sem sal, sorte que temos Lena lidando com Lahey, que está bem estranha desde a descoberta de que o presidente tem agido de forma oculta ao DEO no quesito alien. Ao mesmo tempo, ela pressiona pelo soro de Harun-el que pode dar superpoderes aos seus soldados.

Infelizmente Supergirl se torna arrastada em sua própria trama e parece não nos levar a um lugar muito interessante, deixando outros dramas desenhados bem de lado, caso da outra metade de Kara do outro lado do mundo.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.