Supergirl | 4×12 – Menagerie

E mais uma semana em que Supergirl apenas joga as peças e não desenvolve a sua trama. Começa a ficar repetitiva e sem sal a série, mesmo que sejamos encantados por estes personagens.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Menagerie é introduzida bem a trama, é um simbionte que entra no corpo de uma ladra, e após ela causar inúmeros problemas, pois a hospedeira quer jóias, e a simbionte apenas o coração dos humanos, ela vira alvo dos Filhos da Liberdade.

E agora filho quer dizer filho mesmo, deram para o filho de Ben o papel de limpar seu nome e ele fez isso ao tentar matar Menagerie, e mostrar a população que eles precisam do Agente da Liberdade livre, lutando pelos humanos.

Deste ponto temos 2 tramas.

Nia Nal, que estava de luto e conversou com Brainy, ao ver em sono que Kara precisa dela, resolve colocar seu uniforme e se tornar a heroína que sua mãe esperava. Foi bonitinho a união delas, e gostei da forma que ela chama Brainy para um encontro.

E a outra é o governo, através de Haley, ir conversar com Lena Luthor sobre o projeto de metahumanos dela, criados através do Harun El. Esse envolvimento dela com o governo e vendo que tudo pode dar problemas, além das divisões éticas que ela e James acabam tendo, faz o relacionamento deles terminar.

Assim temos os humanos criando mais ódio pelos alien, Lena criando armas e tudo se misturando em um momento em que Kara está fragilizada por seu relacionamento com Alex estar uma bomba.

Alex sem memória acaba deixando Kara sem ação em inúmeros momentos, pois precisa esconder dela sua identidade. As duas focam em amenidades, como Alex querer um relacionamento, filhos, e fugir de Becca, um encontro que teve.

Supergirl agora precisa se reencontrar e movimentar melhor suas tramas, para assim sair dessa ladeira…

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.