Supergirl | 4×07 – Rather the Fallen Angel

E o vilão de Supergirl continua sendo a intolerância e a forma como ela afeta a todos. Ben e Manchester Black são dois extremos que estão sendo muito bem explorados em cima do tema, enquanto tanto acontece ao redor dos dois, com discussões muito boas.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O episódio em si foi rápido, mas as consequências devem ser sentidas por mais alguns adiante. Manchester Black chega a trocar Supergirl para poder ficar frente-a-frente com o Agente da Liberdade, só que ele acaba sendo enganado, mas se liga no nome Lockwood, e já tem um novo alvo.

J’onn ainda tentou abrir os olhos de Kara de que Manchester no fundo era uma pessoa boa, mas ao confrontá-lo, ele acaba descobrindo a verdade, de que a raiva e a vingança já se apoderou totalmente de Manchester, e ele fez uma chacina contra os Filhos da Liberdade, matando em nome de Fiona. A cena de J’onn devastado chorando com Kara foi bem intensa.

Agora, James é que está em uma situação complicada, ele ficou tão cego com a possibilidade do que tinha por vir que ele chegou a ceder aos Filhos e tentou destruir o símbolo da união entre Aliens e Terráqueos, só que ele não imaginava que os Filhos tinham a intenção de junto disso matar Kara, que estava enfraquecida dentro da estátua a ser explodida. Assim James fica devastado em poder ter quase destruído tudo o que sempre lutou.

Enquanto isso, Lena começa a trabalhar em um projeto intenso para evitar que os humanos não fiquem para trás nessa onda de aliens poderosos, e começa a trabalhar na cobaia 0331, mas acaba se conectando a ela, só que o rapaz acaba morrendo com o Harun El entrando em seu corpo. Gostei de Eve tentando se impor e mudar as coisas, mas Lena ignorando-a.

Agora é compreender como essa luta irá caminhar enquanto novos seres poderosos podem vir a surgir, e até o fato de Lena se voltar contra Supergirl. Elas já estão bem abaladas e ter o Harun El e fazer experimentos pode piorar tudo isso, e ainda temos o retorno de Lex mais a frente.

Supergirl está intensa, mostrando lados, tentando argumentar com a tolerância mostrando não fazer sentido ter essa raiva dentro de si, e discutir isso neste momento é mais do que importante.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.