Supergirl | 3×21 – Not Kansas

Supergirl trouxe um episódio mais leve antes de sua guinada final… A série trouxe leveza para Kara e sua jornada ao lado de Alura, afinal, é hora de colocar a vida em dia e rever amigos e família. Gostei de ver Mon-El ao lado dela e sempre a lembrando que ela precisa confiar em sua intuição…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Mas sua intuição falhou após o desastre de levar a Pedra Negra para a Terra… Por um lado temos a delícia de ver Lena dando mais espaço a Eve Teschmacher, que descobrimos ser muito bem gabaritada, mas prefere ficar de secretária na CatCo, e por outro Lena descobre que a Pedra Negra pode ser usada de outras formas, o que pode colocá-la novamente no caminho de Kara. A Pedra Negra conseguiu tirar Reign de Samantha, mas ela parece ter feito algo muito pior, agora é esperar para ver as consequências disso.

Em Argo descobrimos mais sobre as bruxas e finalmente Selena é exposta para Alura e todos de Krypton, mas o problema é que ela acaba tomando a nave de J’onn e indo embora para a Terra, levando consigo o perigo e deixando Kara e Mon-El presos na cidade que vaga pelo espaço. Quero ver como irão lidar com essa situação.

Fato agora é que Ruby corre perigo com Reign ressurgindo em Samantha e ela estando sozinha em sua casa, ao mesmo tempo que Selena chega a Terra e já dá de cara com Thomas Coville, que lhe entrega uma pedra e assim a bruxa consegue criar novamente a fortaleza.

Longe desse drama temos a revenda de armas sendo discutida de forma interessante, principalmente com o projeto de arma da DEO indo parar nas mãos de um civil. Ponto alto dos dramas fora da linha central da ida de Kara para Argo, ficou para o desenvolvimento de J’onn e o fato dele não aceitar que o pai não está bem, mesmo que o pai o peça para iniciar o processo de aceitação e transmissão de conhecimento.

Supergirl sabe pegar momentos interessantes e agitá-los de forma a nos envolver e nos preocupar com cada um de seus personagens. A forma como Alex sente falta de Ruby e vê ali a figura de uma filha, foi bem legal.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.