Supergirl | 3×14 – Schott Through The Heart

Com a participação de Laurie Metcalf (The Big Bang Theory) como Mary, mãe de Winn, Supergirl vem para dar mais destaque a seu nerd e dar um destino a seu pai, o Homem-Brinquedo. Além disso, a série mantém um pé no drama para falar de demência e como lidar com a descoberta e o que isso pode tirar da pessoa.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Para quem não lembra, Winn é filho de ninguém menos que Homem-Brinquedo, e o seu pai ausente sempre pensou em grandes momentos para o filho, e neste episódio ele descobre que o pai está morto e é um grande passo para ele se livrar do estigma de ser filho de um vilão. Mas eis que surge sua mãe, Mary, na busca de se reconectar com o filho.

Gostei da forma como ele reage ao retorno da mãe, ele não aceita de primeira, solta os sentimentos, grita e tudo mais, mas Mary é paciente e explica como se iniciou suas brigas com o marido e o fato dele ser louco e ameaçar a vida de Winn se ela se aproximasse do filho. No fim eles se entendem e o vilão nem é seu pai, que realmente morreu, mas uma agente penitenciária que se sentiu conectada com o intelecto dele e quis honrar as promessas dele.

A série ainda soube trabalhar M’yrnn e uma conexão com Alex, que ao ir jantar com ele e J’onn conversam sobre a dificuldade em assumir uma personalidade e como é ser negro e como ele enfrenta o preconceito, mas o episódio inteiro vemos M’yrnn tendo indícios de esquecimentos e quando Alex o confronta ele perde o controle. Ele assume ter demência e teme que o filho se preocupe demais com ele e que ele teme ir esquecendo as coisas. Novamente um drama intenso e atual que merece ser bem abordado pela série.

Da parte de Kara, ela reluta em se reconectar com Mon-El, mas ele quer explicar as coisas para a ex-amada. Acontece que no fim ele se abre e comenta que descobriu que Imra e Brainiac-5 esconderam dele que a missão principal é ir atrás da 3ª Destruidora de Mundos, que no futuro acaba se conectando com o maior vilão da Legião dos Heróis: Blight. Cheio de mentiras, ele ainda consegue ajuda de Kara para pedir Winn para reformar seu antigo uniforme…

E por fim James ainda não entende o sumiço de Lena, mas logo descobrimos que ela está investigando Samantha, e parece que já tem indícios sobre sua real personalidade…

Adorei que ainda trouxeram um karaokê para colocar os atores para soltarem suas vozes, mas o roteiro não deixou eles mostrarem o seu potencial, principalmente por parte de Jeremy Jordan.

Gosto da forma como Supergirl sabe ir explorando seus dramas e criando uma trama maior para sua temporada. Espero que Reign ressurja insana e trazendo mais perigo a ser explorado por essa parte da trama da temporada.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.