Supergirl | 3×09 – Reign

Supergirl, das 4 séries da DC na The CW, conseguiu a proeza de nos 7 episódios anteriores a esse, desconsiderando o crossover Crise na Terra-X, desenvolver não só o emocional de cara, mas principalmente nos envolver nos dramas da vilã Reign, indo da amiga e batalhadora Sam, para aquela capaz de fazer Kara sangrar e colocar o terror em National City.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Sam não se lembra do acontecido em sua Fortaleza Santuário, mas algo vem acontecendo com ela, e inúmeras mortes bizarras estão sendo relatadas pela cidade. Meu maior medo é qual possa ser o destino de Ruby, que no fim do episódio encontra a mãe comtemplativa e de forma bem estranha na cozinha.

Tudo isso vem depois de Kara e o DEO investigar as mortes e acabarem encontrando um sinal de destruição de Krypton em um campo, e aos poucos o símbolo vai se espalhando pela cidade. Gostei de trazerem de volta Coville e seu conhecimento sobre as religiões de Krpton, uma vez que essa sociedade esquecida não consta nos documentos virtuais de Kara.

Gostei de Sam ter o seu senso de justiça para a destruição e logo ir para cima de Edge, e o mesmo acabar colocando a culpa em Supergirl. O problema é que Sam tem uma espécie de chave de liga/deslgia ao ver o símbolo da sociedade e partir para cima de todos, fazendo Kara entrar na briga e Edge ver que a distruição é eminente, já que nem Kara deu conta de Reign.

Ao redor disso temos muito drama, como Sam não se lembrando, ou preferindo não se lembrar do que aconteceu, e quando Reign é acionada, Odette Annable consegue fazer sua personagem ter uma transformação deliciosa, mostrando a confusão da sua personagem inicial e o poder após sua transformação. Suas cenas de luta com Kara são excelentes.

Da parte do romance de Kara, lidar com Mon-El e Imra é complexo, principalmente com ela descobrindo que seu amado não a esqueceu por anos, mas se vendo preso, desistiu e seguiu sua vida, criando até mesmo a Legião dos Super-Heróis ao lado de Imra e outros amigos que estão presos em sua nave. O desejo deles no momento é voltar a ibernar para acordarem no futuro e evitar o seu destino.

Com medo dos seus destinos, James e Lena dão um beijo e eu já imaginei que algo assim fosse rolar, pois além de óbvio, os roteiristas adoram um clichê…

Com episódio inédito só em janeiro de 2018, Supergirl termina essa primeira parte com um saldo positivo em sua trama, principalmente por conta do desenvolvimento de seus personagens.