Supergirl | 3×04 – The Faithful

Supergirl continua sua jornada de forma sossegada, apresentando sua vilã de forma crescente e mostrando as consequências das ações de Supergirl e de Kara na vida das pessoas. Dentro das séries do Arrowverse, Supergirl é a que mais contempla o desenvolvimento de seus personagens e trata temas mais tocantes em suas histórias.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Neste episódio Thomas Coville (Chad Lowe, Pretty Little Liars) criou um culto a Supergirl depois de ser salvo por ela no avião em que também estava Alex, o problema é que ele começa a entrar para o fanatismo, fazendo as pessoas até passar por provações, se colocarem em risco para que Kara venha a salvá-las. Um paralelo bem interessante sobre aqueles que esperam que Deus se mostre em seus momentos de desespero. Gostei bastante do desenrolar e de como Kara passou a se ver com outros olhos, e foi legal também Thomas pedindo para ela recuperar o brilho nos olhos que ela tinha.

Outro ponto legal é falarem sobre a religião de Krypton, como o deus Rao e sua luz e palavras de acolhimento. Agora, a forma como ele conseguiu escritas e armamentos poderia ter sido melhor explorado, pois no fim só serviu para acordar uma das pessoas que está atrás de Sam para torná-la Reign.

Falando nela, foi muito bonitinho mostrá-la forte e determinada no trabalho, mas frustrando um pouco sua filha, para no fim ela se sentir frustrada também, por não dar atenção que ela merece. Lena mais uma vez está em um papel mais de amizade, mesmo que saibamos que seu background como Luthor pode render muitas dores de cabeça sempre.

Alex é quem teve os momentos mais sentimentais, pois ao ver a pequena Ruby no palco, seu lado maternal gritou forte, mas Maggie não quer isso para ela, então o relacionamento já começa com um grande conflito. Kara pedindo para a irmã ponderar as coisas foi bom também, a união de irmãs é algo que a série sabe explorar e nos fazer amar as Danvers.

Supergirl cresce no desenvolvimento de seus personagens e continua sendo um exemplo para suas irmãs do Arrowverse, mas precisam voltar a dar algum destaque para James e tirar Winn da zona de conforto dentro do DEO.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.