Supergirl | 2×20 – City of Lost Children

Gosto demais do desenvolvimento que Supergirl dá a seus personagens e finalmente James foi aprofundado e teve um foco bem interessante levantando seu panorama como eterno “parceiro”, enquanto ele busca ter um reconhecimento maior por suas atitudes. E da mesma forma, vemos os planos de Rhea crescer de forma exponencial…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O drama de James começa com o seu Guardião causar mais medo do que motivação, como é o caso de Supergirl e Superman, e ali ele começa a repensar seus atos de heroísmo, com direito a J’onn lhe dar um sermão sobre suas atitudes. Wynn ainda tenta alertá-lo de certa forma, mas James não dá ouvidos, que ter sua própria visão perante a sociedade e espera que seus atos sejam reconhecidos.

Quando ele precisa encontrar uma alienígena que parece querer destruir National City, ele acaba criando um elo forte com Marcus, o filho dela e ali ele começa a se reconectar com seu passado e repensar seu futuro. A forma como as coisas vão ficando maiores e ele precisa salvar não só o garoto, mas sua mãe e uma raça inteira, fica bem bacana e espero que voltem a fazê-lo ter esses questionamentos e não só ser levado pela temporada.

A questão é que esses aliens começam a atacar a cidade por na verdade perderem o controle de seus dons, já que o portal que Rhea e Lena constroem os afetam diretamente devido a sua matéria base. Lena é usada por Rhea que lhe esconde a verdade até mesmo quando Kara telefona, fazendo ela ter mais raiva por Mon-El ainda estar ao seu lado.

Rhea então abre seu plano ao fazer o portal funcionar a todo vapor e com isso colocar a cidade inteira em risco. Enquanto Kara, Caçador de Marte e Mon-El buscam parar Rhea, Guardião e Wynn precisam evitar que Marcus e seus amigos morram.

Tudo se resolve rapidamente por parte de Guardião, que precisa se reconectar a Marcus, mas fica a dúvida do que irão fazer com Rhea, já que ela acaba sumindo com Mon-El e Lena, deixando para trás a cidade sendo invadida por naves Daxamitas. Começa uma guerra intensa e impossível não ficar ansioso, pois é óbvio que este será o estopim para os retornos de Cat e Clark/Superman até a série.

Supergirl soube conduzir tudo até este ponto e já fico ansioso para ver os desfechos dos dois próximos episódios. Uma coisa interessante é ver como a evolução das tramas e a forma como usam os personagens e vilões acabam ficando diferente de The Flash, que está agarrado na própria fórmula.