Supergirl | 2×11 – The Martian Chronicles

Pelo título esperava que abordassem mais afundo a história de M’gann e J’onn e o passado em Marte, mas Supergirl focou mais nos poderes dos aliens e a conexão que eles podem fazer, e menos em Marte em si. Ao menos tivemos ótimas batalhas e muito dramalhão…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

M’gann sabe que Armek está vindo atrás dela e recusa a ajuda de J’onn e aos poucos vamos vendo a união da Miss Marte e do Caçador de Marte de forma totalmente agradável. O lance do vínculo psíquico e como eles se conectam através disso e trocam experiências os colocam em vantagem e já quero ela de volta…

Armek prendeu Kara/Supergirl, Alex, M’gann, J’onn, Winn, Agente Vasquez… E com 2 marcianos brancos dentro do DEO, a vida de todos correram perigo. Armek é esposo de M’gann e desfazendo do “casco” de Winn, mostra a complexidade da invasão que pretendem, pois podem assumir a aparência de outra pessoa e ter uma ligação psíquica com ela, compartilhando suas emoções e conhecimentos.

A luta deles é intensa, com alguns defeitos visuais para a luta dos marcianos que empolgam e nos deixam intrigados. Adorei por exemplo a luta de Kara e de Armek no topo do prédio. Com Armek e sua parceira destruídos, sendo que ele foi morto, resta buscar compreender as ações dos marcianos brancos para a Terra e já quero ver o interrogatório do sobrevivente.

Na parte dramática temos Kara negando Mon-el, tentando entender como seus sentimentos são complicados, mas quando entende que pode render algo entre eles, pois Mon-el está disposto a mudar, já é tarde, pois ele está dando uma chance a Eve.

E ainda nessa de solidão, Kara leva um bolo de Alex na noite de seu “aniversário de Terra”. As conversas entre as irmãs são sempre tão cheias de amor e carinho, grandes nuances, que é impossível não se apaixonar por essas duas.

Supergirl continua leve e gostosa de se assistir. Descompromissada, com ação e drama na medida, os dilemas e dores de Kara são ótimos, e cada um de seus personagens tem uma ótima profundidade a ser desenvolvida.

Fico por aqui, comentem e to be continued