Star Trek: Discovery | 2×05 – Saints of Imperfection

Star Trek: Discovery conseguiu se reencontrar nesta temporada e todo esse desenvolvimento em cima de explorações espaciais, ciência, tecnologia, e também movendo a trama passada de forma a dar uma conclusão as viagens pela rede micelar, está sensacional de acompanhar. Ah! E focaram na perseguição por Spock…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Stamets e Reno descobriram que Tilly foi transportada para dentro da rede micelar e aideia de fazer a Discovery cair de cabeça dentro da rede foi sensacional. Todo o desenvolvimento para este ponto, as conversas sobre não deixar ninguém para trás de Capitão Pike, tudo foi bem interessante.

Mas antes disso, o momentos mais tenso foi a conversa de Georgiou com Pike. Os dois estudaram juntos e rapimente o capitão viu que tinha algo errado com a capitã, e a chegada de Ash na Discovery deixou tudo mais intrigante, pois ele viu que há muito por trás dessa história e Michael sabe o que está acontecendo e ele pede que ela conte a verdade, em seu tempo.

A Seção 31 indo atrás de Spock e Georgiou estar em sua nave, foi uma virada boa e mostra mais das missões que eles irão enfrentar em seu spin-off, se camuflando, invadindo e fazendo o que a Tropa Estelar não é capaz de fazer. Colocar Leland no comando da nave e mostrando a diferença dele e Pike, e um pouco da rivalidade dos dois, deu o tom necessário para a série. Ri com Cornwell aparecendo para apaziguar os dois e reclamar de como os dois homens são complicados.

Voltando para a missão de resgate… Tilly dentro da rede micelar viu que os jahSep, a raça que vive dentro da rede, estão morrendo por conta de um “monstro” e quer a ajuda dela. A questão é que com a chegada de Stamets e Michael, o grupo descobre que o monstro é ninguém menos que Culber, que teve sua vida levada pela lágrima que Stamets beijou no olho dele para a rede.

Os jahSep imaginando ser um intruso, acabaram recriando toda a matéria de Culber na rede, e com ele perdido e para se proteger dos toques dos jahSep, que queimam ao tocar humanos, ele pega o sumo de uma árvore que é fatal para eles e se cobre inteiramente.

A saída para trazer Culber para fora da rede foi bem interessante, e emocional, pois até no último instante parecia que não iria rolar, mas May resolve fechar a porta da rede fazendo-o sair pelo casúlo, que contém DNA e matéria humana. Assim temos Culber de volta, mas sem sabermos o que aconteceu com ele na rede.

Fato é que com sua saída e a descoberta de que as viagens pela rede micelar está dizimando uma dimensão, raças e a vida em si, deve ser cortada em breve, alinhando um pouco mais Star Trek: Discovery da série clássica.

Por final temos Georgiou conversando com Michael e mostrando que ela tem um pé no emocional, mesmo que não se deva confiar na Imperatriz. A briga das duas e a forma como Gergiou a ofende por ter trago ela para essa dimensão foi intensa, mas o saldo é o fato de Gergiou não querer perder mais essa Michael. A questão é até onde a Michael irá confiar, mesmo sabendo que a Imperatriz já poderia ter feito algo por ali.

Star Trek: Discovery tem muito o que mostrar, gosto dessas explorações, mas a descoberta de que junto do Anjo Vermelho e da passagem dele pelo planeta orgânico que explodiu e todas as ligações, ter táquions, nos mostra que teremos algumas viagens no tempo mais adiante… Agora quero ver o Spock!

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.