Star Trek: Discovery | 1×04 – The Butchers Knife Cares Not For The Lamb’s Cry

Continuamos a acompanhar essa nova série da franquia Star Trek, e nesse episódio retomam todo o clima político do Império Klingon apresentado nos dois primeiros episódios.

Dessa vez o episódio começa com a protagonista Michael Burnham se adequando a sua nova posição, ou melhor a falta de uma posição na nave U.S.S. Discovery apesar de se tornar membro da tripulação. O episódio todo quebra algumas expectativas criadas nos episódios anteriores.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

No 3º episódio, onde o Capitão Lorca é apresentado, por todo episódio um ar de mistério e manipulação cercam o personagem, e isso me fez esperar que com o fim do outro episódio, com ele observando a criatura capturada, fosse se tornar um mistério a ser descoberto por Burnhan ao longo da temporada, mas logo de cara a função da amotinada se torna pesquisar a mesma criatura que tentou matá-la antes. O clima de guerra perdura também nesse episódio além do momento de combate onde vemos um exercício de guerra ser realizado pela tripulação, além da pressão constante do Capitão Lorca, que nesse episódio se mostra mais incisivo e menos manipulador do que no episódio anterior.

A tal criatura acaba sendo a “ferramenta” necessária para controlar os esporos durante a viagem pelo caminho descoberto. Isso acaba abrindo até uma questão moral para Michael.

Enquanto isso, vemos também a nave Klingon de Tu’kvma onde seus fiéis passam fome, enquanto estão a deriva sem combustível devido ao ataque no segundo episódio, e é aqui que vemos novamente a política Klingon em ação, apresentando a guerreira L’Rol e a chegada de Kol, um dos líderes klingons das 24 casas. O embate entre as diferentes facções se mostra mais evidente com a questão ideológica entre os fiéis do falecido T’Kuvma e o resto do Império Klingon.

Esse plot no episódio não apresenta a princípio grandes momentos, nem algo inovador, principalmente pra quem já assistiu Star Trek: A Nova Geração, onde a política Klingon era muito presente, mas abre espaço para grandes desenvolvimentos futuros, principalmente de Voq e L’Rol.

Dos episódios até agora esse foi o mais morno, com alguns novos desenvolvimentos que parecem precisar de mais tempo e talvez um pouco mais de ambientação, no sentido de nos emocionarmos com o que foi apresentado aqui, especialmente com a criatura pesquisada por Michael ao longo do episódio. Mesmo com o resgate feito pela Discovery ao fim do episódio, o combate não empolgou tanto com nos episódios anteriores.

Viva longa e próspera e até o próximo episódio!

Lucas Rafael Faccioli

Nerd leitor de quadrinhos. Marvete de coração, dcnauta em crescimento.