Sharp Objects | 1×07 – Falling

E nada poderia justificar mais o título do episódio dessa semana de Sharp Objects! As coisas literalmente estão desmoronando em Wind Gap.

E novamente temos pistas… pistas e mais pistas. Mas dessa vez vemos os pedaços do quebra-cabeça dessa história se encaixarem certinho igual o gelo em uma bebida que cai em um bar da cidade ou nas mãos de Camille.

Nesse 1×07 – Falling vemos as investigações se cruzaram e o peso de atitudes tanto do presente quando do passado cairem nos ombros dos personagens.

sharp objects 1x07 review
Foto: HBO Brasil

Camille continua com sua investigação/reportagem e para ela há alguma coisa mais no caso dos assassinatos das garotas e seu instinto jornalístico diz que John (Taylor John Smith) não matou nem a irmã e nem a outra garota.  Acreditamos nela certo?

E isso nos leva para momentos que toda a ética e seriedade da jornalista são jogados para o espaço quando os dois trocam confidencias e aguardam o inevitável desfecho já decidido pela polícia de Wind Gap, a prisão do rapaz. E como as notícias correm rápido por Wind Gap não é mesmo? Metade da cidade já sabia sobre o pedido de prisão do jovem.

Mas nesse episódio ainda temos (finalmente) uma elucidação sobre alguns dos comportamentos destrutivos de moradores da cidade principalmente de Jackie (a fantástica Elizabeth Perkins que faz aqui com certeza seu Emmy Tape para a próxima temporada de premiações) e claro, ela o ser mais odiado da TV no momento Adora Preaker (Patricia Clarkson incomparável).

sharp objects 1x07 crítica
Foto: HBO Brasil

As jogadas de câmeras e os efeitos que misturam a realidade com as memórias e lembranças continuam lá num ótimo trabalho de Jean-Marc Vallée em conseguir nos transportar para o episódio ao mostrar a essência daquelas personagens. O foco que o diretor dá sobre o rosto dos moradores da cidade na medida que eles cospem seus segredos é realmente fantástico.

Ao descobrirmos junto com o detetive Richard detalhes do passado da família Preaker que estavam escondidos em prontuários médicos guardados há anos, entendemos o comportamento possessivo de Adora com seus remédios falsos em frascos azuis e uma obsessão em cuidar de suas filhas, onde o foco da matriarca cai sobre Amma (Eliza Scanlen). Assim, durante esse episódio começamos a terminar de montar o quebra-cabeça que começou lá no primeiro episódio, seria ela responsável pelos assassinatos? A temida mulher de branco da lenda que assusta as crianças da cidade? Quem seria seu cúmplice? O marido ? O chefe de polícia?

Sharp Objects começa sua jornada para o final da temporada e na próxima semana parece que teremos um episódio que promete ser revelador e impactante. As cartas estão na mesa decorada no melhor estilo sulista com as melhores toalhas, onde os personagens bebem para esquecer e a gente se embebeda com as performances cativantes de seu elenco.

Mal podemos esperar pelo último episódio.

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales