Sharp Objects | 1×04 – Ripe

Nessa semana, para aqueles que reclamam, a trama da série finalmente ganha um fôlego e avança. Depois de 3 episódios quase inteiros focados em apresentar, construir e desenvolver a personagem de Camille, nessa quarta parte vemos a investigação tomar conta da história onde quem assiste segue a montar o complexo quebra-cabeças que é Sharp Objects! 

Foto: HBO

Como falamos na review do último episódio, o detetive Richard e Camille se unem para trocar figurinhas sobre o caso e claro que a química entre os dois acaba por ser explorada (e muito bem explorada assim por dizer). E como diz a personagem “Eu sou uma garota não convencional” acaba por ser a melhor definição para todo o desenvolvimento da trama entre os dois que passam o capitulo em cena do crime em cena do crime, o que faz Camille além de ficar vulnerável temos também a personagem bastante abalada por revisitar certos lugares.

O sentimento de incomodo e tensão não só afetam a dupla de visitantes na cidade mas ainda continua a rondar os moradores de Wind Cap, seja pelo calor sulista, pelas palavras não ditas quando se bisbilhota atrás de uma porta ou por demissões injustas e eventos sociais perdidos.

Em 1×04 – Ripe os flashbacks continuam a se mesclar com a cenas atuais e deixa a trama cada vez mais interligada e ao mesmo tempo confusa. Os moradores de Wind Gap parecem viver num looping de más escolhas sejam elas por respeitar suas tradições de mais de 500 anos ou por repetir os crimes nos mesmos locais (a mata e a cabana abandonada do episódio 1 é vista novamente e desperta não boas lembranças para Camille como falamos).

Repetimos que para nós Sharp Objects nunca será sobre os assassinatos em si e realmente sobre a jornada e o caminho que a jornalista faz pela cidade para chegar na resolução deles mas em 1×04 – Ripe pequenas pistas e detalhes para desvendarmos os crimes que acometeram a cidade nos dão um pedaço ou se por dizermos uma pétala de uma rosa cheia que nos ajuda a formar o grande quadro.

Detalhes sobre as relações complicadas dessa cidade pequena são revelados nesse episódio onde vemos desde da íntima e até digamos estranha conexão entre Adora com o Xerife Vickery e Alan (o suspeito marido sempre as sombras). E descobrimos também mais sobre Amma e sua relação com suas amigas de patins e com as duas meninas que foram assasinadas (elas eram amigas e andavam em trio, seria Amma a próxima?).

Em 1×04 – Ripe descobrimos também que Amma nutre um relacionamento bastante duvidosos com um professor de teatro e assim a frase em Wind Gap parece que agora mais do que nunca todos são suspeitos continua a aplicada ao seu máximo.

Foto: HBO

E ao juntar as pistas, Camille parte para uma busca que nos entrega minutos finais agonizantes e cheios de armadilhas tanto para quem assiste quando para os personagens. O que vimos seriam flashs do que poderia acontecer com a mente de Camille se sobrepondo aos eventos?

Ou as cenas são a realidade do aconteceu vista de forma confusa e sempre meio nebulosa como já mostrado anteriormente? E como funciona a relação de poder entre Alan e Adora? E por que da lentidão do Xerife em resolver o caso?

Sharp Objects continua encantadoramente sombria desde de trabalhar seus personagens até desenvolver sua trama e deve começar sua reta final a nos entregar as diversas possibilidades para o desfecho de sua trama. Qual caminho os episódios irão seguir? Você está preparado?

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales