Roswell, New Mexico | 1×08 – Barely Breathing

Ainda fazendo mistério, Roswell, New Mexico não andou muito sua trama, mesmo colocando alguns personagens em novo posicionamento sobre a vida dos aliens na cidade, e enrolarem demais algumas coisas acaba deixando a série arrastada.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O soro que Liz criou e Izobel fez Kyle aplicar nela pode ter resolvido temporariamente seus poderes, deixando ela mais humana, só que o soro começou a lhe fazer mau e lhe deu poucas horas de vida. O drama que seguiu disso envolveu sua mãe Ann, Max e até Noah.

Foi legal saber mais da visão de Ann em criar Max e Izobel, principalmente por ela falar que quando os encontrou eles não falavam, se comunicavam entre eles e do nada passou a falar inglês perfeitamente. Só que essa conexão dos dois nunca a fez se sentir uma mãe. No fim temos Max “quebrado” e chorando com ela.

Izobel realmente ama Noah e achei que ele fosse envolver em alguma coisa, mas ele só quer a esposa bem, demonstrando que realmente a ama, mas sente que há muita coisa escondida no drama dela.

Michael e Liz podem fazer mais se estiverem juntos, tanto que ela logo compreende a química das câmaras e aconselha colocar Izobel em suspensão dentro delas, e usa prata para resolver o problema deles não conseguirem entrar.

A parte alien focou bastante no drama de Izobel e sua possível morte, mas também colocou Cameron ainda mais cismada com Max, e o próprio querendo entender o símbolo que ele tem tatuado.

Só que o que mais gostei foi de ver Alex finalmente tomando as rédeas da vida e destruindo tudo o que o pai Manes conseguiu sobre os aliens de Roswell, ainda mais vendo que ele tem planos de deixar Michael como terrorista se algo acontecer. Alex ainda o confronta por ele não o ver como filho e como forte só por ser gay.

Espero que Roswell, New Mexico traga mais respostas sobre os blackouts de Izobel, e que a trama comece a andar mais, mesmo que símbolos e momentos possam se encaixar mais a frente. O legal é que mesmo assim a série entrega episódios que são bacanas.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.