Raio Negro | 1×10 – Sins of the Father: The Book of Redemption

Raio Negro (Black Lightning) segue sua trama expondo o início da ASA em Freeland e como Martin e Gambi estavam envolvido em todo o processo, mas esconder Tobias e as consequências da morte de sua irmã, além dessa reapresentação de Lala, acaba deixando um pouco a desejar. Ao menos desenham melhor a diferença entre Anissa e Jennifer.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Primeiro a parte de Jennifer, que neste episódio volta a bater de frente com o lance de não querer ser uma super heroína, mas aí as coisas vão além, com ela liberando parte de seu poder sem o controle total dele. Anissa então percebe similaridade entre o dom da irmã e do pai e coloca Lynn para fazer alguns testes com a garota. Aqui descobrimos que diferente de Jefferson, que canaliza a energia ao seu redor em seu corpo, Jennifer tem essa eletricidade pulsando em seu corpo.

Martin parte para a agressão para cima de Gambi, pois deseja saber rapidamente a identidade de Raio Negro e com ele cada vez mais próximo de seu centro onde esconde os meta-humanos localizados por um “olheiro”, fica cada vez mais importante ir atrás dele. A forma encontrada? Sequestrar Gambi e então levar Jefferson até ele.

Eis que Martin finalmente liga os pontos quando o esconderijo fica sem energia e Gambi mata seus agentes. E temos mais uma descoberta, pois Two-Bits viu uma van pegar uma garota que “entrou em chamas” logo após ingerir a Luz Verde. Temos um novo olheiro por Freeland, papel que antes era de Gambi e agora é da Vice-Diretora Fowdy. Não foi surpresa, mas legal darem um destaque a mulher que parecia apenas debaixo das asas de Jefferson, e que agora tem sua identidade revelada para ela.

Uma coisa que está sem graça é a ascensão de Lala e a forma como ele conversa com as pessoas que ele matou. LaWanda deixou uma sensação de que não acrescentou nada para ele, enquanto Will apenas parece amedrontado com suas novas atitudes, que visa reerguer os 100 sem ajuda de Tobias e vendendo drogas usuais e não mais a Luz Verde.

Raio Negro segue interessante, mas em dado momento parece um pouco perdida. É inegável que a série é atual, traz bons questionamentos quando o assunto é empoderar a comunidade e trazer ela para uma linha de raciocínio importante nos dias atuais. Gosto da ideia de trabalhar essas 3 linhas de herói, com o antigo, o empolgado e o que desdenha o próprio dom, mas para mim fica faltando algo…

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.