Raio Negro | 1×08-09 – The Book of Revelations / The Book of Little Black Lies

Raio Negro (Black Lightning) trouxe dois episódios interessantes, continuando a mostrar o quão importante a série é para a época atual. Explorando o passado do herói, seu presente e grandes dilemas, a série consegue nos cativar com a jornada de um herói caído e a necessidade desse mesmo herói para uma nova geração. Tormenta então cresce como uma nova visão para a justiça, enquanto as mentiras de Gambi começam a esvair por suas mãos…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

A parte que mais gostei é a ligação de Jefferson e Anissa, que fica mais forte a medida que a garota se impõe nas investigações e é necessário que ele se imponha perante a polícia, já que foi acusado de matar Lady Eve. Gostei de mostrarem a arma de energia que simula sua descarga elétrica e como ele, Anissa e Gambi foram atrás dos homens, mas uma informação a Henderson acabou por destruir a prova.

Henderson é outro personagem que cresce. Gosto dele ir além do amigo de Jefferson para alguém que quer ser o mais justo possível e acaba se unindo a Raio Negro, mesmo odiando a forma como ele age, se escondendo e colocando mais pessoas em perigo, pois os bandidos começam a agir de forma extrema. Quando ele descobre que há informantes dentro da própria organização, ele sente essa necessidade de agir de outra forma, tanto que ele acaba unido a Tormenta e Raio Negro.

Jefferson chegou a engolir seco quando Henderson fala com ele que é para ele limpar sua ficha se ele for encontrado morto em um beco e com mentiras de que era corrupto.

Enquanto Henderson se une mais a equipe, Gambi conta seu passado para Jefferson depois que Lynn liga os pontos. Então descobrimos a existência da agência ASA e de como Martin estará no pé das pessoas com poderes e que Gambi era um olheiro da agência, que ia atrás dos metahumanos para repassar a agência, e chega até a ver um dos garotos que ele ficou no pé morto depois de ter seu nome passado para Martin.

Assim temos Gambi agindo com Jefferson como uma forma de limpar a própria consciência, e Anissa entende esse lado dele, mas agora ele tem que limpar a barra com o antigo amigo, já que foi uma pista que ele deu a seu pai que levou Tobias até ele e o fez ser assassinado. As investigações e a provável forma como se aproximou dos cabeças foi o motivo de sua morte e agora Anissa e Jefferson estão mais próximos.

Ansioso para ver como irão concluir essas tramas, mas achei bem sem sal o retorno de Lala e como ele ficou cheio de devaneios com LaWanda, só que compreendo que ainda estão montando seu plao de fundo para algo maior. Assim duvido até que Lady Eve se mantenha morta por muito tempo.

Agora, Jennifer também é metahumana, a sua descoberta, em um momento em que uma amiga passou perigo, foi simples e bem encaixado no episódio e depois bem trabalhado com seu desespero com a novidade e como tudo isso modifica sua vida. A irmã mais empolgada, o pai heróico, as mentiras da família, tudo foi um fardo para ela em cima de uma mudança mais do que significativa. Temi que colocassem um drama adolescente revoltado, mas as questões que ela levantou foram ótimas, principalmente quando ela chora com Lynn sobre não saber se terá uma vida normal, se poderá ter filhos.

As cenas destes momentos foram bem bacanas, como ela temendo a irmã e depois mostrando que um pouco de admiração pesquisando sobre as atitudes deles na Internet, e como Anissa, ou melhor, Tormenta, já tem mais fãs que Raio Negro.

Raio Negro soube dosar o tom investigativo e até mais intenso, envolvendo mortes e lutas, com os momentos de descobertas e da evolução da adolescência. A série ainda bate no peito para se definir diante de um momento tão delicado, tão intenso e real, e mostra-se necessária, mas ao lado dessa força de empoderamento e dessa luta, é um entretenimento saudável e divertido.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.