A Qualquer Custo | Critica

Em A Qualquer Custo (Hell or High Water, 2016) vemos um filme com uma crítica ao sistema econômico americano numa história de crime, paixão e irmandade ambientada no Texas. Com direção de David Mackenzie a produção acerta na escolha do elenco principal e conta com uma ótima trama sobre como nossas ações podem gerar consequências para nós mesmos e as pessoas que nos cercam.

Como um bom filme do estilo, o inicio do longa, claro, tem logo de cara uma cena com um assalto a banco que serve para conhecermos os dois irmãos  Toby, o ator Chris Pine (Star Trek: Além da Escuridão) em um papel bem diferente do que ele já fez sendo uma ótima surpresa e Tannar, interpretado por Ben Foster (Warcraft – O Primeiro Encontro de Dois Mundos), que se entrega na loucura excentricidade do personagem. Os dois se encontram depois de um tempo separados para resolver os problemas da família de uma maneira não tradicional: roubar bancos antes do expediente começarem.

Foto: Califórnia Filmes

No início podemos pensar que os irmãos estão por roubar por serem somente más pessoas, mas ao longo do filme vamos entendendo as motivações e a cada nova revelação, e virada no roteiro, vamos descobrindo por que a dupla resolvem burlar a lei. O filme é daqueles que é super compreensível no mundo real. As atuações de Pine e Foster mostram bem as diferenças de seus personagens, Toby é discreto, centrado e pensa sempre na moralidade de suas ações, já Tannar é o famoso sociopata que assalta os bancos por assaltar, é viciado em cassinos e mulheres. Mas os dois tem a mesma ideia, salvar o rancho da família que está para ser tomado pelo Banco Texas Midland o mesmo Banco que eles vão de agência em agência assaltar. 

Mas é claro que a policia está na cola dos dois, o policial Marcus, um sensacional Jeff Bridges (Bravura Indômita) em um papel que garantiu a indicação ao Oscar desse ano como Melhor Ator Coadjuvante, prestes a ser aposentar recebe o caso e junto com seu parceiro Alberto (Gil Birmingham, A Saga Crepúsculo) vão atrás dos bandidos num velho e bom estilo Xerife do velho Oeste com piadas racistas sobre os nativos-americanos. O roteiro de Taylor Sheridan (Sicario: Terra de Ninguém) foge do lugar comum ao amarrar as pontas da sua trama e faz uma bela crítica sobre como viver num mundo quando o mundo vira as costas para você. Num mix de faroeste moderno com filme de assaltos, o longa usa química entre seus personagens principais para contar um ótima história.

Foto: California Filmes

A Qualquer Custo é um filme que conta com duas atuações principais muito boas e cativantes. Mostra uma série de crimes aliados com um drama de moralidade que mostra a força de nossas ações. O longa conta uma história de fazer o certo mesmo que a linha entre o certo e errado esteja um pouco fora de ordem.

Nota do Crítico:

Leia mais sobre A Qualquer Custo.