Primeiras impressões de The OA, nova série da Netflix

O ano de 2016 está terminando, mas a Netflix ainda conseguiu segurar uma nova série que vai deixar o pessoal pronto para uma bela maratona de final de ano:  sua nova série The OA.

The OA é um drama de mistério que entrou no catálogo do serviço de streaming hoje e conta a história de uma mulher (a atriz Brit Marling numa atuação parecida com Clarie Danes em Homeland) que desapareceu durante sete anos e voltou do nada. Detalhe ela era cega e ao retornar para casa dos pais ela consegue enxergar. Isso é o que sabemos desde que o projeto foi anunciado lá em 2015. A data de estreia e uma descrição maior sobre o que seria a série ficou mais claro quando a Netflix divulgou as informações para o público essa semana. A série tem 8 episódios e foi criada pelos produtores Marling and Zal Batmanglij.

Na abertura do piloto estamos no transito cheio de carros e vemos uma movimentação acontecer com uma pessoa gravando uma mulher que está prestes a pular da ponte. Uma grita “Não pula!” e quando vemos a mulher vira, dá uma olhada por cima do ombro e pula. Como não continuar o piloto depois dessa?

Quando descobrimos que a mulher misteriosa é a filha do casal interpretado pelos atores Alice KrigeScott Wilson temos mais perguntas levantadas. “Mas ela nunca viu a gente antes, sete anos antes de desaparecer ela era cega”, diz o pai para a enfermeira. Assim começa a saga e lógico muitas dúvidas. Por que ela desapareceu? Como ela voltou? Como ela voltou a enxergar? E por que ela insiste a ser chamada de The OA e o que isso significa?

Em um ano onde as séries dependeram muito de mortes de personagens principais, eventos unindo personagens de várias séries, ganchos mirabolantes uma produção sem muito hype com um bom roteiro e atuações deve valer a pena gastar algumas horas numa bela maratona de final de ano. Afinal já já estaremos em 2017 e as séries não darão folga novamente.

Boa maratona por que aqui a gente já começou The OA.

Leia mais sobre The OA.