Os Cavaleiros do Zodíaco: Saintia Shô #6-7 | Resenha

Saintia Shô é um dos mangás que mais me empolga em ter começado a acompanhar, pois o trabalho de Chimaki Kuori em cima da obra de Masami Kurumada é de uma sensibilidade incrível e sabe se aproveitar da mitologia criada por ele para expandi-la, mas sempre tratando tudo com muito carinho.

Nestes dois volumes é incrível ver a evolução que vemos em Saori e como ela se tornou uma Athena mais interessante a partir dessa nova visão. Indo de uma garota mimada que virou deusa, para uma garota que encarou o seu destino e sabe que deve colocar sempre o mundo a frente de seus desejos. Mu de Áries desenha muito bem essa transição da personagem, e ainda se coloca em cheque ao dar uma chance para Shoko e sua armadura de Equulus, pois ela carrega a mesma estrela maligna de Éris que a irmã também possui.

Com o fim da Batalha das 12 Casas a energia gasta nela pelos cavaleiros, assim como o sangue derramado, foi o suficiente para trazer de volta o espírito de Éris, assim como suas Dríades. Então o seu templo, assim como uma grande árvore maligna começa a ter suas raízes fincadas e com isso espalhando o aroma da discórdia por todos os lados.

As batalhas dentro do templo são ótimas, e temos 2 dríades perdendo para as Saintia. Emony, de Malícia, acaba sendo derrotada por Mii, e a dríade do espelho, que veste uma armadura negra de Equulus, que acaba sendo derrotada por Shoko, quando essa explode o seu cosmo sozinha e não aceita a ajuda de Éris através de sua irmã.

Esse elo entre Shoko, Kyoko e Éris acaba sendo o elo mais fraco para a Deusa, que não consegue retornar por completo por conta do amor, mas sua maçã começa a ficar mais intensa, e ela trinca quando Shoko rejeita. É formidável como a série é mais intensa e forte do que a série clássica, mesmo com a retomada do lance entre irmão e como salvar.

A surpresa dentro do templo de Éris é a presença de Saga e sua armadura de Ouro de Gêmeos, assim como o seu desejo por poder. Ali, de frente a Aioria, de Leão, eles conversam sobre os desejos de Saga e ele explica que ali é a parte de puro ódio e desejo, não a versão boa de gêmeos.

Dado momento quem interfere na luta dos cavaleiros de ouro é Milo, de Escorpião, mas ele ainda não mostra a que veio, deixando o confronto apenas mais intenso.

Outros que começam a ganhar destaque, deixando Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki descansando da batalha são os outros 5 cavaleiros de bronze, que ganham mais força e precisam mesmo deste trabalho, para ter importância mais digna na mitologia de Cavaleiros do Zodíaco.

Saintia Shô é uma obra que faz sua homenagem a obra clássica, nos leva a saga por outro ângulo, mas faz de forma competente o trabalho em apresentar novas personagens como as Saintias e ainda dar destaque a cada uma delas, só que o mais importante é como aumenta o nosso carinho por Saori.

Já no aguardo dos próximos números…

FICHA TÉCNICA

Título: Os Cavaleiros do Zodíaco: Saintia Shô #6 e #7
Título Original: Saint Seiya: Saintia Shô #6 – #7
Autor:
 Chimaki Kuori e Masami Kurumada (ideia original)
Editora:
 JBC
Ano:
 2017
Gênero:
 Ação, Aventura

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.