On Becoming a God in Central Florida | 1×06 – American Merchandise

A força de On Becoming a God in Central Florida realmente está em Kirsten Dunst, e reforçar isso em Krystal, mostrando que desde pequena ela é quem toma as rédeas de sua vida em momentos de decisão, ou de extrema emoção, deixa claro que ela está pronta para a briga quando há necessidade.

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

Aqui mostraram bastante da fragilidade de Obie e como Cody se torna importante para ele ter o que quer, principalmente quando descobrimos que a Senhora Banar, sua mãe, é muito envolvida com política e tem amizade com o vice-presidente dos Estados Unidos.

A escolha do “melhor vestido” de Krystal para impressionar Obie, sem saber pelo o que passaria, foi sensacional. Só que a garota tem ótimas conversas com a “sogra”, que a orienta a achar um investidor melhor, e ser humilhada por Obie a faz ver que a FAM não é lugar para ela.

Quando Cody abre o jogo para ela sobre os problemas com a FAM e como Obie desvia o dinheiro, é algo surreal. A reação dela foi sair de tudo aquilo, pois Travis morreu por uma utopia, algo que eles nunca terão.

E é nesse apego pelo o que há de vir que Ernie se vê conectado, pois a esperança e a única coisa que lhe resta. Quando ele vê salvando a vida de pessoas, tomando decisões que faz as pessoas lhe ouvir, foi sensacional, mas logo ele é jogado no chão com a morte do assaltante e o sangue em sua cara.

O confronto de Ernie, que está apegado ao último pingo de sua esperança, com Krystal que não vê mais onde pode ir, os dois brigam, mesmo que Krystal compreenda que o amigo e vizinho está fora de si.

E Mirta começa a ganhar destaque, pois vendo que a história é cheia de problemas, Krystal procura a repórter para dar sua versão da história, bem quando a mulher estava no fundo do poço, e espero que elas encontrem o médico que perdeu tudo…

On Becoming a God in Central Florida começa a sua virada e fico ansioso para ver o caminho a se seguir.

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.