On Becoming a God in Central Florida | 1×05 – Many Masters

O mais bacana de On Becoming a God in Central Florida é que nunca conseguimos imaginar quais são os próximos passos a serem apresentados no episódio, mas temos a certeza que todos os personagens terão momentos ótimos. Bets cuidando de Destinee e com a possibilidade de furacão realmente me preocupou…

ALERTA DE SPOILER: Este artigo contém informações sobre os principais acontecimentos do episódio. Continue a ler por sua conta e risco.

O episódio mesmo longo, passou rapidamente, mas momentos importantes foram apresentados. Acho que o maior deles é a relação de Krystal e Cody, que fica cada vez mais próximos, só que ela o domina, pois ele gosta de ser submisso a uma mulher, fazendo-a pedir coisas que ele faz sem questionar. Quando ela manda ele enfiar a cabeça na privada e dar descarga foi incrível.

O drama acabou focando na vontade desesperada de Krystal, que é julgada por esse desespero por Obie, mas o melhor é a forma que ela o enxerga e vê que ele é “quebrado”. Então vemos que Obie tem problemas no coração e não se cuida direito, o que só piora, chegando ao ápice de sofrer um ataque durante o encontro dos Washington da FAM.

Cody matando um pelicano e se aproximando de Obie foi bacana, assim como ele após o ataque se aproximando dos planos de Krystal, abrindo ainda mais as coisas para os dois no futuro. Enquanto isso, Carroll e Carole ficam com o jantar com Obie e Louise, sua esposa, mas acabam saindo perdendo, pois ele fica mais interessado nos dois desajustados.

Cody agora faz parte da área mais próxima de Obie, enquanto Krystal tem a chance de ter seus planos analisados. Quero ver mais de Ernie e sua junção a FAM, mas Bets teve bom destaque mostrando ser uma mãe e amiga carinhosa, a forma como ela ajuda Krystal é muito legal.

On Becoming a God in Central Florida mais uma vez acerta em sua trama e nos deixa ansioso pelas possibilidades abertas…

Dan Artimos

Sou formado em Sistemas de Informações, e amante de televisão. Trabalho, leio bastante, estudo, vou a cinemas, parques e corro (ultrapassada a meta pessoal dos 21km), e ainda assim vejo séries e escrevo sobre elas. Sim, nem eu sei como consigo fazer a organização de minha agenda no meio de tantas nerdices.