O Segredo de Davi | Crítica

O ano de 2018 tem sido um bom ano para o cinema nacional. Novos formatos tem sido testado na urgência das produções tentarem criar mais filmes que tentem se conectar com um público mais exigente e acostumado com produções americanas. E O Segredo de Davi parece caminhar com esse propósito, onde o diretor Diego Freitas parece, também, acertar nessa empreitada.

O longa flerta com diversas vertentes mas pode ser considerado um suspense, onde diríamos, alías, ser um senhor suspense. Somado à isso, O Segredo De Davi tem em sua estética escura, o tom bastante sombrio e a espetacular atuação do ator Nicolas Prattes seu maior trunfo, o que acaba por compensar o texto um pouco duro e travado.

O segredo de davi crítica
Foto: Parakino Filmes

Como um bom filme do gênero, O Segredo de Davi tem toda uma temática envolvida com mistérios que deixará o público pensativo e com altas teorias ao longo do filme. E montar esse quebra-cabeça é uma das coisas mais bacanas que Freitas poderia entregar ao público, onde a multipluralidade de muitas questões em O Segredo De Davi o faz ser um filme daqueles que a idéia em rever a produção novamente, e com outros olhos, após a descoberta de seus segredos parece deixar o filme ainda mais interessante.

Freitas mistura o sobrenatural com a realidade com um tom completamente impactante para contar essa história que mais parece uma jornada do jovem Davi, onde a cada cena e a cada frame nos entrega diversas oportunidades de confabular sobre o que acontece na trama.

Nicolas Prattes, entrega uma atuação memorável, e realmente tem um que do nerd Sheldon de The Big Bang Theory com técnico de laboratório Dexter e as sutis mudanças que o ator faz quando passa de Davi, o estudante para Davi, o serial killer acabam por serem completamente magnéticas, onde o ator se transforma em tela e deve encantar o espectador por mais mórbido e pertubador que ela possa ser.

Na trama, acompanhamos o estudante de cinema, Davi (Prattes) que vive uma vida considerada normal, onde ele frequenta a faculdade, festas e tem um ciclo pequeno de amigos. Mas o passado do jovem não tem nada de normal, ele perdeu os pais quando criança, e assim, O Segredo de Davi embarca numa jornada de auto-descoberta para o personagem à medida que seu instinto mais matador, aliado com as tecnológias atuais de redes sociais, começam a expôr os segredos do rapaz.

Nicolas Prattes O Segredo de Davi crítica
Foto: © Parakino Filmes

Claro, O Segredo de Davi em várias partes, sofre com uma simplicidade em termos de diálogos e até mesmo de desenvolvimento de personagens e outras situações, mas tudo isso fica mascarado quando Prattes entra em cena e a trama lá para sua metade começa a fazer algum sentido. Antes, tudo lembra um tom um pouco novelesco.

Já os atores, André Hendges e Neusa Maria Faro ainda ajudam Prattes a contar a história de Davi, onde os dois fazem personagens interessantes e muito curiosos. A parte técnica de O Segredo de Davi também impressiona, onde Freitas usa câmeras coladas no rosto dos personagens para mostrar a troca de expressões deles de uma forma bastante útil para o desenvolvimento da história e toda a caracterização do filme com um ar mais antigo, desde das locações até mesmo os carros e as vestimentas, acabam completando para criar uma certa atmosfera para a produção.

No final, O Segredo de Davi é um baita acerto, graças a sua trama interligada e cheia de reviravoltas que exigem bastante do espectador para processar, onde Freitas nos entrega  um filme marcado por um protagonista interessante e ao mesmo tempo pertubador.

Nota do Crítico:

 chega nos cinemas em 22 de novembro

Miguel Morales

Sempre posso ser visto lá no Twitter falando sobre o que acontece na TV aberta, nas séries, no cinema e claro outras besteiras. Uso chapéu branco e grito It's Handled! Me segue lá: twitter.com/mpmorales